Doria pede que STF obrigue Ministério da Saúde a reabilitar leitos de UTI em SP

Segundo o governador, na última semana, o Ministério da Saúde deixou de financiar 3.258 leitos de UTI em São Paulo

Gabriela Coelho, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

 O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), apresentou ao Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira (10) uma ação contra o Ministério da Saúde para tentar reverter decisão da pasta de desabilitar leitos privados de UTI usados no tratamento de pacientes com a Covid-19. 

Segundo Doria, na última semana, o Ministério da Saúde deixou de financiar 3.258 leitos de UTI em São Paulo. “A atitude da União em reduzir drasticamente a participação no financiamento da manutenção de leitos de UTI para pacientes de Covid-19, justamente em momento no qual há um aumento significativo do número de infectados, internações e mortes pela doença, corre o risco de ocasionar verdadeiro colapso no sistema de saúde”, disse em trecho da ação.

Para Doria, o governo se afastou quase inteiramente do dever de auxiliar o estado paulista no custeio de leitos de UTI destinados a pacientes de Covid-19. 

 

João Doria (PSDB), governador de São Paulo
João Doria (PSDB), governador de São Paulo
Foto: CNN (14.dez.2020)

“Deve haver a disponibilização de mais leitos de UTI no sistema de saúde, uma medida da maior relevância para o atual momento de agravamento das infecções e internações causadas pela Covid-19. A postura do governo, contrária à cooperação para a realização dessa ação necessária e indispensável para a salvaguarda da saúde e vida dos brasileiros é manifestamente violadora do dever imposto ao Poder Público”, defendeu. 

Ontem, o governador do Maranhão, Flávio Dino, também apresentou uma ação no STF para obrigar o Ministério da Saúde a reabilitar leitos de UTI custeados pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e destinados a pacientes com Covid-19.

Mais Recentes da CNN