E$quema S: em buscas, policiais encontraram cartão de memória no vaso sanitário

O cartão foi encontrado num banheiro da casa de Diogo Amorim Gaia Duarte

Entenda como funcionava o suposto esquema de desvios
Entenda como funcionava o suposto esquema de desvios Foto: Reprodução/CNN (09.set.2020)

Fernando Molicada CNN

Ouvir notícia

Em operação nesta quarta (9), em Brasília, relacionada ao suposto esquema de irregularidades na Fecomércio-RJ, policiais federais recuperaram no vaso sanitário da casa de um dos investigados o cartão de memória que seria de um telefone celular. 

Leia também:

Como funcionava o suposto esquema de desvios do Sistema S do Rio

Entenda o que é o Sistema S, pivô de esquema investigado pela Lava Jato no RJ

O cartão foi encontrado num banheiro da casa de Diogo Amorim Gaia Duarte, que, segundo a delação de Orlando Diniz – ex-presidente da Fecomércio –, foi portador de parte do dinheiro que lhe foi devolvido por um dos advogados que teriam sido beneficiados pelo esquema, Eduardo Martins, filho do presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins. 

A descoberta do cartão na privada foi registrada no auto de busca e apreensão: “Na residência do Diogo Amorim Gaia a equipe pegou um cartão de memória que haviam jogado no vaso sanitário.”

De acordo com o Ministério Público Federal, Eduardo Martins e quatro escritórios de advocacia por ele indicados receberam um total de R$ 83 milhões.

Na delação, Diniz disse que pediu a Martins a devolução de R$ 4 milhões, mas recebeu apenas metade desse valor. Segundo ele, o dinheiro foi entregue, em parcelas, em seu apartamento no Leblon, na zona sul do Rio. Aos procuradores, reconheceu Diogo como portador de dinheiro que lhe foi repassado.

Mais Recentes da CNN