Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Escolha do vice não é o principal em uma eleição, diz cientista político

    Rafael Cortez disse à CNN que governabilidade deve ser o ponto central da escolha

    Rafael Cortez, cientista político, em entrevista à CNN
    Rafael Cortez, cientista político, em entrevista à CNN Reprodução/CNN

    Marcello Sapioda CNN

    O cientista político Rafael Cortez disse que a escolha de um candidato a vice na corrida presidencial “não é o principal”. Em entrevista à CNN nesta quarta-feira (27), ele afirmou que é importante construir capacidade para governar.

    “Para a questão eleitoral, é importante [a escolha de um vice], mas não me parece que é o principal. O principal é a questão da governabilidade.”

    A candidata do MDB à Presidência, oficializada nesta quarta-feira (27), está diante de um impasse para definir o candidato a vice em sua chapa. Ela já afirmou que sua preferência seria pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), mas sinaliza que pode não aceitar o convite.

    Enquanto isso, a senadora Eliziane Gama (Cidadania), cotada para o posto, já afirmou que aceitaria o convite.

    Cortez citou exemplos de governos passados: “Todos os presidentes passaram por um processo de impeachment, pelo menos tentaram fazer, com a exceção da presidente Dilma Rousseff, que se concretizou. Isso tem tudo a ver da relação com o vice e a governabilidade do presidente”.

    O cientista político ainda destacou a importância das convenções na definição dos palanques regionais para os candidatos à Presidência.

    “Há sinais daquilo que a gente chama de nacionalização das candidaturas. As candidaturas para presidente precisam replicar nos estados esse mesmo conflito que vai dar o tom da corrida presidencial. Como são rivais na disputa nacional, precisam encontrar aliados em cada estado para fazer o espelho. Cada estado tem um interesse particular.”