Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    ‘Escuta opinião contrária’, diz ex-ministro das Comunicações sobre Fábio Faria

    Miro Teixeira apoiou a recriação do Ministério das Comunicações e elogiou a escolha do presidente Bolsonaro para comandar a pasta

    Da CNN

    Ouvir notícia

    Em entrevista à CNN, na manhã desta quinta-feira (11), Miro Teixeira, ex-ministro do Ministério das Comunicações durante o governo Lula, apoiou a recriação do ministério e elogiou a nomeação do deputado federal Fábio Faria (PSD-RN), genro de Silvio Santos, dono do SBT, para comandar a pasta.

    “Considero muito útil a recriação e acho que Fábio é uma pessoa que vai levar com suavidade a titularidade desse ministério. Nós fomos parlamentares juntos, ele é uma pessoa de ótimo relacionamento, não só é educado, que é obrigação de todo mundo, mas ele escuta a opinião contrária e isso é muito positivo. Espero que ele leve isso ao ministério, essa experiência parlamentar”, afirmou.

    Além de político, Fábio Faria, de 42 anos, é administrador de empresas. Ele começou a carreira política em 2007, quando assumiu seu primeiro mandato como deputado federal. Foi reeleito em 2010, 2014 e 2018. Faria é casado com Patrícia Abravanel, filha do empresário e apresentador Silvio Santos.

     

       Assista e leia também:

      Recriação de ministério tira comunicação e publicidade de militares do Planalto

      Nomeação de Fábio Faria provocará nova eleição para Mesa Diretora da Câmara

    Estrutura

    O novo Ministério das Comunicações incorporará toda a estrutura da antiga pasta, que havia sido incorporada à da Ciência e Tecnologia (MCTI), além das funções da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom). A pasta também vai dirigir a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), estatal responsável, entre outras coisas, pela TV Brasil e pela Agência Brasil.

    No que dizia respeito ao MCTI, o novo ministro Fábio Faria será responsável pelas áreas de telecomunicações, radiodifusão e serviços postais. Portanto, entram em seu guarda-chuva o controle de outras áreas, como a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e os Correios.

    Já em relação à Secom, o ministro assume a parte de publicidade oficial e a realização de pesquisas de opinião pública. A secretaria especial era vinculada à Secretaria de Governo, dirigida pelo ministro Luiz Eduardo Ramos.

     

    Mais Recentes da CNN