Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governistas pedem que STF e PF determinem apreensão do passaporte de Bolsonaro

    Parlamentares alegam risco iminente de fuga do ex-presidente ao exterior após revelações de hacker e investigações sobre esquema de venda de joias

    Julliana LopesRaquel Landimda CNN

    Parlamentares da base governista iniciaram um movimento de pressão para que o passaporte de Jair Bolsonaro (PL) seja apreendido nos próximos dias.

    Em pedidos e ofícios encaminhados ao Supremo Tribunal Federal (STF) e à Polícia Federal (PF), deputados e senadores alegam a necessidade de se proibir a saída do ex-presidente do país durante investigações em curso.

    Bolsonaro é alvo da investigação conduzida pela PF sobre um suposto esquema de venda ilegal de presentes oficiais. Além disso, ele teve o nome citado por Walter Delgatti durante depoimento à a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro por supostamente promover ações para colocar em cheque a credibilidade das urnas eletrônicas.

    Em requerimento protocolado na Suprema Corte na última sexta-feira (18), os deputados federais Henrique Vieira (PSOL-RJ) e Erika Hilton (PSOL-SP), ambos integrantes da CPMI, justificam a retenção do documento para evitar “prejudicar os processos de investigação ou comprometer a integridade das evidências”. A solicitação foi encaminhada ao ministro do STF Alexandre de Moraes.

    No mesmo dia, o ministro recebeu notícia-crime com pedido semelhante do senador Rogério Carvalho (PT-SE). Além de mencionar o depoimento de Delgatti, o parlamentar aponta a existência de contas bancárias no exterior em nome do ex-presidente, além de um suposto esquema de desvio presentes presidenciais que deveriam compor o acervo da União.

    A medida ainda conta com o apoio dos deputados Rogério Correia (PT-MG) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que encaminharam também à PF ofícios com a solicitação. Os parlamentares devem apresentar, ainda, um requerimento com pedido semelhante à CPMI.

    Tebet se manifesta

    A ministra do Planejamento, Simone Tebet, foi uma das primeiras integrantes do governo defender a apreensão do documento.

    “Não se enganem, busquem o mais rápido possível apreender o passaporte, porque quem fugiu para não passar a faixa para um presidente que foi legitimamente eleito pelo povo, com certeza vai querer abandonar o Brasil para poder salvar a própria pele”, disse na cerimônia de posse do novo presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Marcio Pochmann, nesta sexta-feira (18).

    A CNN entrou em contato com a defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro e aguarda posicionamento.

    Vídeo: Moraes autoriza quebra de sigilo das contas de Bolsonaro