Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Líder do MST e Dilma Rousseff comparecem à posse de Jorge Messias na Advocacia-Geral da União

    João Pedro Stédille recebeu um cumprimento do novo ministro e ex-presidente discursou no evento

    Gabriel FernedaJorge Fernando Rodriguesda CNN

    em São Paulo

    O líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile e a ex-presidente Dilma Rousseff estiveram presentes no Palácio do Planalto na posse de Jorge Messias como o novo advogado-geral da União, nesta segunda-feira (2). Stédille chegou a ser cumprimentado pelo novo ministro.

    A ex-presidente Dilma Rousseff discursou no evento, agradeceu Jorge Messias e salientou a importância da Advocacia-Geral da União para o governo.

    “Se a advocacia da um parecer, quando por exemplo um ministério da um parecer e outro ministério da outro parecer, quem tem o poder de dar subsídios ao presidente para desempatar essa divergência é a a AGU. A AGU tem um papel fundamental, ajuda um presidente a governar. Se você governa dentro dos princípios democráticos, se não houver uma AGU forte, respeitada e considerada, vai ser difícil que o Executivo tenha atitude de respeito em relação ao Parlamento e ao Judiciário. Quero destacar a contribuição que me foi dada ao meu amigo e agradecer ao Messias por ter me ajudado.”

    Em entrevista à CNN na manhã desta terça-feira (3), o engenheiro agrônomo Xico Graziano disse estranhar a presença de Stédile no evento.

    “Ato é pensado e faz parte da ideologia do novo governo, é coerente e não me estranha que isso tenha acontecido. Mas me estranha o local. Advocacia-Geral da União? O Stédile é economista, faz essas estripolias todas ligadas a reforma agrária, o que estava fazendo lá?”

    O engenheiro opinou também como o presidente Lula irá fazer para manter seu apoio ao MST com as questões do agronegócio.

    “Acho que Lula sabe que quem tem segurado o desenvolvimento econômico do Brasil nos últimos anos, especialmente após a pandemia, é o da agricultura e da pecuária, que cresceu a sua participação no PIB brasileiro”.

    “Lula escolheu um ministro da agricultura, o Carlos Fávaro, que é uma pessoa bastante conectada com a agricultura tecnlógica do Brasil, e Lula vai fazer o que sempre faz, ele é bom fazer essa composição e não vai deixar afrontar o agro brasileiro “