Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lista brasileira para repatriação de Gaza já passa de 100 pessoas

    De acordo com fontes diplomáticas, essa deve ser a última versão da lista

    Jussara Soaresda CNN

    Brasília

    O governo brasileiro já acumula mais de 100 pedidos para repatriação de Gaza. Na lista anterior, informada pelo Itamaraty, constavam 86 nomes. O número aumentou após a inclusão de mais parentes palestinos que tentam deixar a região mais crítica do conflito entre Israel e Hamas.

    A atualização da relação com os pedidos de repatriação foi enviada no início desta semana às autoridades de Israel e Egito, responsáveis por autorizar a saída de Gaza pela passagem de Rafah.

    De acordo com fontes diplomáticas, essa deve ser a última versão da lista, visto que seguir recebendo documentação para novos pedidos atrasaria o tramitação das repatriações.

    O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, conversou ontem com os chanceleres do Egito, do Catar e da Palestina, entre outros árabes, para reforçar o apelo para a liberação dos brasileiros que ainda estão em Gaza.

    Nesta quinta-feira (30), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu com o emir do Catar, Tamim bin Hamad Al-Thani, em Doha. Na conversa, Lula elogiu o Catar pela mediação no conflito, agradeceu a liberação do primeiro grupo de brasileiros e reforçou pedido pelo segundo grupo.

    Em entrevista coletiva, Lula citou que há mais brasileiros a saírem de Gaza e mencionou, sem entrar em detalhes, a liberação de um brasileiro feito refém pelo Hamas.

    “Agradeci o Catar porque teve um papel importante para a liberação dos brasileiros na faixa de Gaza. Ainda tem mais brasileiros lá ainda”, disse Lula.

    Novos critérios

    Para fechar a nova lista, o Brasil ampliou o critério em relação à anterior, quando 32 pessoas foram repatriadas. Agora, avós e irmãos mais velhos foram incluídos. Na primeira lista entraram apenas pais, filhos e cônjuges — além de brasileiros e cidadãos com dupla nacionalidade. Com isso, a maioria dos nomes, desta vez, é formada por palestinos.

    Os critérios da segunda lista foram discutidos entre o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Agora, é preciso que Israel e Egito aceitem os mesmos parâmetros para retirar parentes e brasileiros de Gaza.

    Ao receber os repatriados na segunda-feira (13), na Base Aérea de Brasília, Lula recebeu os apelos de brasileiros para que trouxessem familiares de Gaza. Na ocasião, o presidente prometeu esforço.

    A estimativa de diplomatas brasileiros, no entanto, é que o número de pessoas que, de fato, viajarão ao Brasil pode ficar abaixo da quantidade de pedidos. Primeiro, porque depende da autorização de Egito e Israel. Além disso, pode haver desistência de última hora já que a maioria deste segundo grupo é formado por palestinos.