Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula adia anúncio sobre Ministério do Turismo para depois da viagem à Europa, afirmam ministros

    Em reunião ministerial com o presidente, Daniela Carneiro não falou de demissão, mas foi a única a exibir vídeo com prestação de serviço de seis meses à frente da pasta

    A ministra do Turismo, Daniela Carneiro (ao centro), durante reunião ministerial do governo Lula
    A ministra do Turismo, Daniela Carneiro (ao centro), durante reunião ministerial do governo Lula Cláudio Reis/Enquadrar/Estadão Conteúdo - 15.jun.2023

    Basília Rodriguesda CNN

    Em Brasília

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) irá anunciar decisão sobre o comando do Ministério do Turismo depois que retornar da viagem que fará à Europa. Na próxima semana, Lula vai se encontrar com o papa Francisco e o presidente da França, Emmanuel Macron.

    Após reunião com o primeiro escalão do governo no Palácio do Planalto, ministros afirmaram à CNN que não será divulgado oficialmente “nada antes da viagem” de Lula e que, até lá, “a ministra fica”.

    O presidente viajará ao Vaticano na próxima terça-feira (21) e, no dia seguinte, desembarcará na França.

    Nesta quinta-feira (15), Daniela Carneiro fez um balanço de sua gestão durante reunião ministerial.

    “Lula já falou para ela tudo o que tinha que falar. Na reunião [de] hoje, ao contrário de todos os outros ministros, Daniela exibiu um vídeo sobre a pasta dela, foi uma prestação de contas mesmo. Notei tom de despedida, todo mundo sabe que ela não tem apoio do partido”, afirmou um dos ministros à CNN Brasil, sob reserva. Outros participantes do encontro disseram à CNN que tratou-se de uma apresentação “normal”, em meio ao clima de despedida, e que ela teria dito que mesmo em situações difíceis faria o melhor trabalho.

    Nesta semana, Lula comunicou ao casal Daniela e Waguinho Carneiro (Republicanos-RJ) que faria a mudança no comando do Ministério do Turismo. Ao mesmo tempo, o presidente estendeu a permanência da ministra por mais alguns dias, o que tem sido descrito por aliados como uma sobrevida para que Daniela tivesse uma saída honrosa do cargo.

    Nesta semana, a ministra participou de audiências em comissões da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Nas duas ocasiões, manifestou apoio a Lula e desconversou sobre a possibilidade de ser demitida.

    A demora do Planalto em formalizar o anúncio tem irritado o União Brasil, que reivindica mudança na pasta em troca de dar apoio ao governo no Congresso Nacional.

    De acordo com relatos feitos à CNN nesta semana, em jantar com a bancada do partido na Câmara, o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, reafirmou que o governo vai atender à demanda e brincou que o partido sofre de TPM, “Tensão Pré-Ministerial”.