Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula diz que adiou cirurgia para não passar imagem fragilizada após eleições

    Presidente explicou que sofre de dores desde agosto de 2022; após operação, Lula afirma que trabalhará normalmente e que viajará em novembro para a COP-28

    Lula no Palácio do Planalto
    Lula no Palácio do Planalto 22/9/2023 REUTERS/Adriano Machado

    Tiago Tortellada CNN

    em São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) revelou que sofre de dores desde agosto de 2022, e que adiou a cirurgia na cabeça do fêmur para não passar uma imagem fragilizada após as eleições presidenciais do ano passado.

    A fala aconteceu durante o programa “Conversa com o Presidente”, em seu canal no YouTube, nesta terça-feira (26).

    “Durante o processo da campanha, naquela cena que vocês me viam pulando no carro de som, vocês não sabem a dor que eu sentia. Mas eu pulava, porque era preciso animar as pessoas. Se o candidato está lá, de cabeça baixa, ele não passa otimismo para a sociedade”, disse Lula.

    Veja também — Análise: O que Lula leva em conta para nomear novo procurador-geral

    “Depois, eu queria operar logo depois das eleições. Mas, aí, falei: ‘Bom, se eu operar agora, vão dizer que Lula está velho, ganhou a eleição e já está internado'”, complementou.

    Em seguida, o petista explicou que decidiu esperar para realizar o procedimento cirúrgico para completar ações no país e fora dele, como diversas viagens que fez esse ano. Ele citou, por exemplo, a ida à cúpula do G20 e à reunião dos Brics.

    Conforme noticiado pela CNN anteriormente, a cirurgia está prevista para a manhã desta sexta-feira (29). Ele deve dar entrada em um hospital na própria sexta, permanecendo internado até a próxima terça-feira (3).

    Lula fará uma artroplastia total de quadril no lado direito, e a operação deve durar algumas horas. Após a cirurgia, o presidente vai despachar do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, por no mínimo três semanas.

    Durante a live desta terça-feira (26), o chefe de Estado pontuou que a próxima viagem que deve realizar será no dia 28 ou 29 de novembro, para os Emirados Árabes, onde ocorrerá a COP-28, a Cúpula do Clima.

    Ainda assim, disse que, até lá, trabalhará “normalmente”, mas que, inclusive por recomendação de seu fotógrafo, Ricardo Stuckert, que também é secretário de produção e divulgação de conteúdo audiovisual, ele não será visto de muletas ou andador.

    “Vocês não vão me ver de andador, de muleta, vocês vão ver sempre bonito como se eu não tivesse operado, mas eu vou ter que ter um pouco de cuidado porque parece simples, mas a recuperação, a fisioterapia e a dedicação no tratamento é fundamental”, destacou Lula.