Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula diz que emenda parlamentar é importante, “mas não precisa ser secreta”

    Presidente eleito deu declaração após anunciar primeiros nomes que vão compor sua equipe ministerial no governo federal a partir de janeiro de 2023

    CNN Brasil

    O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta sexta-feira (9), que emenda parlamentar é uma ferramenta política importante, “mas não precisa ser secreta” – em referência ao orçamento secreto.

    “Todo mundo sabe o que eu penso de emenda parlamentar. Eu fui deputado constituinte e eu sempre achei a emenda do deputado é importante, o que não precisa é ser secreta”, declarou durante a entrevista coletiva que concedeu em Brasília após anunciar os primeiros nomes que vão compor sua equipe ministerial a partir de 2023.

    O petista destacou que a emenda precisa estar “acoplada ao orçamento do governo e às obras preferenciais do governo”. “E quem decide liberar a emenda é o Poder Executivo”, completou.

    Ele pontuou que, se “houver problema” em relação às emendas de relator durante a tramitação da PEC do Estouro na Câmara dos Deputados, será conversado.

    “Todo mundo sabe o que eu penso, o presidente [Arthur] Lira sabe que eu penso isso, e quero dizer pra vocês que, se tiver qualquer problema, nós vamos conversar. Eu já conversei duas vezes com o presidente Lira, duas vezes com [o presidente do Senado, Rodrigo] Pacheco e, se for preciso conversar dez vezes, eu conversarei dez vezes”, acrescentou Lula.

    Primeiros nomes para equipe ministerial

    O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou, nesta sexta-feira (9), os primeiros nomes que vão compor sua equipe ministerial no governo federal a partir de janeiro de 2023.

    Em uma coletiva de imprensa no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede da transição de governo, em Brasília, Lula confirmou cinco futuros ministros:

    • Fazenda: Fernando Haddad (PT)
    • Defesa: José Múcio Monteiro
    • Casa Civil: Rui Costa (PT)
    • Justiça: Flávio Dino (PSB)
    • Relações Exteriores: Mauro Vieira

    O petista afirmou que deve uma reunião no próximo domingo (11) para determinar a quantidade de ministérios e secretarias que o próximo governo terá.

    “Tomei a decisão [de anunciar os primeiros nomes] porque preciso que algumas pessoas já comecem a trabalhar”, afirmou Lula. Ele também brincou que anunciou mais nomes para ter outras pessoas para conversar com a imprensa sobre os trabalhos do futuro governo.

    Segundo o presidente eleito, na semana que vem, ele pode anunciar “mais do que o dobro” de ministros do que a quantidade anunciada nesta sexta (9).

    Publicado por Léo Lopes