Lula diz que pediu a FHC a libertação dos sequestradores de Abilio Diniz

Em evento em Alagoas, o petista disse que intercedeu pelos criminosos porque eles haviam começado uma greve de fome

Da CNN

Ouvir notícia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nessa sexta-feira (17) que, em 1998, procurou o então presidente, Fernando Henrique Cardoso, para pedir que ele libertasse os sequestradores do empresário Abílio Diniz. Na época, eles estavam presos havia 10 anos e tinham começado uma greve de fome.

Diniz apresenta o programa Olhares Brasileiros, da CNN Soft.

Durante evento em Maceió, o petista disse que também conversou com o então ministro da Justiça, Renan Calheiros.

“Esses jovens, tinha argentinos, tinha gente da América Latina, ficaram presos 10 anos. Teve um momento que eu fui conversar com o Fernando Henrique Cardoso porque eles estavam em greve de fome e iam entrar em greve seca, que é ficar sem comer e beber. A morte seria certa. Aí, então, eu fui procurar o ministro da Justiça, chamado Renan Calheiros.”

Diniz foi sequestrado em dezembro de 1989. Ele permaneceu seis dias em cativeiro em São Paulo, no porão de uma casa no bairro do Jabaquara. A polícia localizou o endereço a partir do cartão de uma oficina encontrado em um dos veículos usados no sequestro.

Lula disse que, durante sua conversa com FHC, ele disse que, soltando os presos, o então presidente poderia entrar para a História “como um democrata”, evitando que “ 10 jovens que cometeram um erro” morressem na cadeia.

O petista afirmou que FHC concordou em libertar os presos se eles interrompessem a greve de fome.

“E eu fui na cadeia no dia 31 de dezembro conversar com os meninos e falar: ‘Olha, vocês vão ter de dar a palavra para mim, vocês vão ter de garantir pra mim, que vão acabar com a greve de fome agora, e vocês serão soltos. Eles respeitaram a proposta, pararam a greve de fome e foram soltos. E eu não sei onde eles estão agora.”

A CNN procurou Fernando Henrique Cardoso para comentar as declarações de Lula, mas ainda não obteve resposta.

Em nota, o senador afirmou à CNN que “os sequestradores estavam quase morrendo em greve de fome e nós os transferimos para cumprir penas em seus países”.

Debate

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

*Com informações de Anna Russi, da CNN, em Brasília

Mais Recentes da CNN