Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula ignora pressão e indica preferência por homem para o STF, dizem fontes

    Presidente tem dado sinais de que usará a vaga para melhorar a articulação política do governo, segundo interlocutores; base petista cobra indicação de mulher

    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva 28/07/2023REUTERS/Adriano Machado

    Clarissa Oliveirada CNN

    em São Paulo

    Mesmo diante de cobranças para que indique uma mulher para a próxima vaga que será aberta no Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vem sinalizando a preferência por um homem para a cadeira que hoje pertence à ministra Rosa Weber, segundo fontes ouvidas pela CNN.

    A atual presidente do STF se aposenta em setembro deste ano e ocupa a vaga que pertenceu a Ellen Gracie, primeira mulher a integrar a Corte. Entretanto, o chefe de Estado vem indicando que dará preferência ao que aliados descrevem como uma “solução política”.

    Veja também — Disputa por vaga de Rosa no STF está entre Jorge Messias e Bruno Dantas, dizem fontes

    A pressão para que Lula indique uma mulher, de preferência negra e alinhada a bandeiras históricas do PT, aumentou diante dos votos recentes do ministro Cristiano Zanin, recém-empossado na Corte.

    Primeiro indicado de Lula ao STF no novo governo, Zanin votou na semana passada contra a descriminalização do porte de maconha para uso pessoal, amplamente defendida na base petista como forma de reduzir o encarceramento em massa e a distinção de classe no sistema prisional.

    Recentemente, o ex-advogado do petista também foi criticado por seu voto sobre equiparação da homotransfobia ao crime de injúria racial.

    Lula, segundo interlocutores, tem dado todos os sinais de que usará a vaga para melhorar a articulação política do governo.

    Conforme informou a âncora da CNN Raquel Landim, a disputa tem se afunilado em torno de nomes como o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, e Jorge Messias, advogado-geral da União.

    A escolha de Dantas permitiria ao governo negociar a vaga no TCU para um indicado pelo Congresso Nacional. Já a indicação de Messias contribuiria para acalmar a base petista.

    Há ainda quem defenda que o presidente deveria reservar a cadeira para um nome como o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), o que fortaleceria o vínculo do PSD com a base aliada.

    Ainda de acordo com as fontes ouvidas pela CNN, para acalmar a demanda pela indicação de uma mulher, Lula sinaliza com a possibilidade de indicar Daniela Teixeira como nova ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

    A advogada, ligada à OAB do DF, é a única mulher a integrar a lista quádrupla que servirá de base para a indicação.

    Daniela tem bom trânsito no Palácio do Planalto e ganhou a simpatia de diversos setores próximos a Lula. A advogada, entretanto, ainda enfrenta resistência dentro do próprio STJ.