Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mercosul deve divulgar “breve comunicado” sobre crise entre Venezuela e Guiana, dizem fontes

    Lula propôs a realização de um fórum regional para buscar solução pacífica. Brasil poderia sediar as reuniões

    Bandeira do Mercosul
    Bandeira do Mercosul Getty Images

    Gabriela Pradoda CNN

    Brasília

    Fontes do Itamaraty confirmaram que países do Mercosul devem divulgar um “breve comunicado” sobre a crise entre a Venezuela e a Guiana, nesta quinta-feira (7), ao fim da reunião Cúpula que reúne os países do bloco, no Rio de Janeiro (RJ)

    Integrantes da diplomacia brasileira afirmam que o texto pretende ser uma “conclamação à resolução pacífica e contra atitudes unilaterais das partes”.

    Durante à tarde desta quinta-feira, o texto foi revisado pelos representantes das nações que integram o bloco econômico.

    A escalada de tensão entre Venezuela e Guiana dominou as conversas de bastidores e os encontros da Cúpula, que encerra a participação do Brasil na presidência do bloco. A partir de agora, o Paraguai assume o comando do Mercosul.

    Depois de se reunir com seus principais assessores sobre o tema – o chancelar Mauro Vieira e o assessor especial para assuntos internais, Celso Amorim – o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT-SP) decidiu se oferecer para mediar a crise entre a Venezuela e a Guiana, segundo fontes do Itamaraty e do Planalto informaram à âncora da CNN Raquel Landim.

    Na reunião do Mercosul, Lula propôs a realização de um fórum regional da Comunidade dos Estados Latino-americano e Caribenhas (Celac) com a intenção de assumir o protagonismo na busca por uma solução pacífica para o conflito. Lula ainda colocou o Brasil à disposição para sediar as reuniões.