Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ministério da Justiça deve ser entregue a uma mulher, dizem fontes

    Luiz Inácio Lula da Silva ainda não decidiu indicação, mas aliados apontam Tebet e Gleisi como as mais cotadas

    Raquel Landimda CNN

    em São Paulo

    O ministério da Justiça deve ser entregue a uma mulher, apurou a CNN. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ainda não tomou uma decisão, mas pessoas próximas dizem que as mais cotadas são Simone Tebet, ministra do Planejamento, e Gleisi Hoffmann, presidente do PT.

    Contrariando especulações, Lula não convidou o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski para a pasta da Justiça durante viagem para os países árabes e a Alemanha.

    O ministro inclusive disse à CNN que ninguém falou com ele. A presença de Lewandowski na comitiva já estava prevista antes de Lula anunciar Flavio Dino como seu indicado ao Supremo.

    Lewandowski foi na condição de presidente do comitê jurídico da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Muito próximo de Lula, ele chegou a ser cotado para o posto desde a campanha.

    O ministro, no entanto, disse a interlocutores que já serviu nos mais altos postos da República e hoje está feliz na vida privada, cuidando dos netos.

    Tebet é uma das mais cotadas, segundo fontes, abrindo espaço para outra mulher no ministério do Planejamento, com um perfil mais desenvolvimentista.

    Gleisi também está no páreo, embora seja difícil por causa da sucessão dentro do PT. Lula poderia também considerar o nome da deputada para outra pasta importante na Esplanada.