Militares comemoram novo pronunciamento, mas não asseguram mudança de tom

A avaliação é a de que o presidente modulou a fala após ouvir recomendações para não tensionar o ambiente político

O presidente Jair Bolsonaro em pronunciamento nacional
O presidente Jair Bolsonaro em pronunciamento nacional Foto: Reprodução (31.mar.2020)

Caio Junqueirada CNN

Ouvir notícia

Diferentemente do pronunciamento da semana passada, quando generais que cercam Jair Bolsonaro chegaram a abandonar o Palácio do Planalto para “dormir tranquilo” pelo fato de não terem palpitado sobre o tom agressivo da fala do presidente, nesta quarta-feira pela manhã o tom já era distinto.

A avaliação é a de que o presidente modulou a fala após ouvir recomendações dos militares para não tensionar o ambiente político. O próprio anúncio de que faria um pronunciamento não foi como na semana passada, quando ministros do núcleo militar souberam por auxiliares do presidente. Mas não há segurança de que esse tom será mantido. “É um jogo de ajuste da sua entourage com o que ele ouve e vê nas redes sociais”, disse à CNN um dos militares com assento no Palácio do Planalto. 

Desta vez, Bolsonaro comunicou na reunião ministerial pela tarde. Ela começou por volta das 14h30 e terminou ao redor das 16h, quando ele disse que tinha que gravar a fala. Fazia duas semanas que ele não reunia o gabinete. Cobrou durante o encontro que os ministros comuniquem ações de governo. Estava mais tranquilo do que na semana passada, quando bancou sozinho o tom de sua polêmica fala.

Mais Recentes da CNN