Moro está por um fio, e diretor da ABIN é favorito para comandar PF

Jair Bolsonaro decidiu tirar Maurício Valeixo do comando da Polícia Federal, contrariando Sergio Moro

Daniel Adjutoda CNN

Ouvir notícia

Jair Bolsonaro decidiu tirar Maurício Valeixo do comando da Polícia Federal. Alexandre Ramagem, atual diretor-geral da ABIN, é quem deve assumir a direção-geral da PF no lugar dele. A saída de Valeixo do cargo foi publicada no Diário Oficial da União. Nos bastidores, a ideia acertada é dizer que ele mesmo pediu demissão para evitar ainda mais desgates a Sergio Moro.  

Ao longo da tarde e noite da quarta-feira, aliados tentaram convencer Bolsonaro a não insistir na troca. Não por Valeixo em si, mas para garantir a permanência de Moro no ministério da Justiça e no governo. Segundo interlocutores, Moro está muito chateado. O que mais o incomoda é a ingerência de Bolsonaro na PF, confrontando a “carta branca” prometida a ele ao aceitar abrir mão da magistratura.

Leia e assista também:
Sergio Moro fará pronunciamento às 11h
Saiba os possíveis nomes para substituir Maurício Valeixo, exonerado da PF

O ministro ainda não decidiu se continua no cargo. Ontem, ele pediu demissão, mas Bolsonaro não aceitou.

Bolsonaro não está satisfeito com a atuação da PF em seu governo. O presidente quer que a Polícia Federal volte a mostrar plena atividade no combate à corrupção, o que inclui o retorno de ações policiais na Lava Jato e investigações que revelem o superfaturamento de prefeitos e governadores em licitações de materiais para a COVID-19.

Alexandre Ramagem é delegado da PF desde 2005. Em 2017, ele comandou investigações e ações de inteligência da Lava Jato no Rio, incluindo a operação Cadeia Velha. No ano seguinte, foi chefe da equipe de segurança do presidente Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral.

Mais Recentes da CNN