Mourão: Mortos em ação policial no Rio eram ‘criminosos’

Operação na favela do Jacarezinho deixou 25 mortos, incluindo um policial

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Ao comentar a operação policial mais letal da história do Rio de Janeiro, com 25 mortos, incluindo um policial, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) disse “não ter dúvidas” que os mortos “eram criminosos”.

“A narcoguerrilha no Rio praticamente controlam determinadas áreas e impedem a entrada do estado, enquanto o estado não resolver problemas vamos ter situações como essa. Se permitirmos que a narcoguerrilha se fortaleça vamos admitir que o estado é incompetente para ter soberania em todo o seu território”, disse Mourão.

“Não tenho dúvidas que eram criminosos [os mortos na operação], se tivessem inocentes baleados já teria bastante gente na rua protestando contra isso.”

Operação

A Polícia Civil afirma que deflagrou uma operação contra uma organização criminosa responsável por homicídios, roubos, sequestros e aliciamento de menores no Rio de Janeiro e informou que um policial morreu na ação. As outras 24 pessoas mortas seriam suspeitos de envolvimento com o crime, de acordo com a polícia. 

Duas pessoas que estavam em uma composição do metrô parada na estação de Triagem foram atingidas por balas perdidas, segundo a polícia, e ficaram feridas. Os passageiros foram socorridos e levados aos hospitais Salgado Filho e Souza Aguiar, na capital fluminense.

Em nota, o governo do Rio de Janeiro afirmou que “lamenta as vidas perdidas na operação”.

“A ação foi pautada e orientada por um longo e detalhado trabalho de inteligência e investigação, que demorou dez meses para ser concluído. Para garantir a transparência e a lisura da operação, todos os locais de confrontos e mortes foram periciados. É lastimável que um território tão vasto seja dominado por uma facção criminosa que usa armas de guerra para oprimir milhares de famílias”, afirmou o governo em nota. 

Operação policial deixou pelo menos 25 mortos
Operação policial deixou pelo menos 25 mortos nas proximidades da estação Jacarezinho
Foto: Vanessa Ataliba/Zimel Press/Estadão Conteúdo

Mais Recentes da CNN