Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Nomeação de Celso Sabino para o Turismo e exoneração de Daniela Carneiro são oficializadas

    Mudanças foram publicadas no Diário Oficial da União; convite foi aceito pelo deputado após articulação do União Brasil com o governo federal

    Marina DemoriLarissa Arantesda CNN*

    em Brasília

    A edição extra do Diário Oficial da União desta sexta-feira (14) oficializou a nomeação do deputado federal Celso Sabino (União Brasil-PA) como novo ministro do Turismo.

    O documento também confirma a exoneração de Daniela Carneiro (União Brasil-RJ), agora ex-chefe da pasta.

    O convite ao parlamentar foi feito pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na quinta-feira (13), em reunião no Palácio do Planalto. O encontro contou com a presença do ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha.

    Em um vídeo publicado ainda na quinta, Sabino confirmou que aceitou o convite.

    “Agradeço ao presidente pela confiança, agradeço a minha bancada do União Brasil na Câmara dos deputados e assumo com responsabilidade, disposição e vontade de fazer com que o turismo no nosso país signifique aquilo que significa em outras nações, com mais empregos, renda e mais desenvolvimento, trazendo divisas para favorecer a construção do Brasil que todos nós queremos”, disse.

    A discussão sobre a substituição do comando no Turismo acontece há semanas. No dia 6 de julho, o ministro Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação Social, admitiu que Daniela Carneiro (União Brasil-RJ) havia colocado o cargo à disposição e que tinha conhecimento que deixaria o ministério.

    A troca no Turismo é pragmática. O governo escolheu Celso Sabino para o cargo de ministro em uma jogada ensaiada com a Câmara dos Deputados para melhorar a articulação política. A indicação de Sabino é da Câmara.

    Quem é Celso Sabino

    Natural de Belém, administrador e advogado de formação, Sabino está em seu segundo mandato consecutivo como deputado federal.

    Atualmente no União Brasil, ele tem passagens por outros quatro partidos. Antes de entrar para a vida pública, entre 2001 e 2009, foi filiado ao Progressistas (PP).

    Entre 2009 e 2013, ele esteve no Partido da República (PR), legenda que atualmente se chama Partido Liberal (PL). Foi nesse período que ele se elegeu, em 2010, a deputado estadual paraense suplente, assumindo o cargo no ano seguinte com a nomeação do titular para uma secretaria do governo.

    Em 2013, se filiou ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), se elegendo novamente a deputado estadual nas eleições de 2014. No pleito seguinte, em 2018, foi eleito pela primeira vez deputado federal.

    Em 2021, rachou com o PSDB e se filiou ao Partido Social Liberal (PSL), que, ao se fundir com o Democratas (DEM), virou o atual União Brasil.

    Na biografia em seu site oficial, Celso Sabino se declara cristão e frequentador da igreja evangélica. Em suas principais pautas, ele destaca “defesa animal”, “segurança” e “saúde” no topo.

    De acordo com o site da Câmara dos Deputados, Sabino faz uso do apartamento funcional disponibilizado pela Câmara aos deputados desde março de 2019, não recebe auxílio-moradia, e já fez três viagens em missões oficiais neste ano – uma para Abu Dhabi, uma para Manamá, capital do Bahrein, e uma para Nova York, acompanhando o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

    Neste mandato, constam no site da Câmara 197 propostas legislativas de sua autoria, das quais 119 foram arquivadas.

    Em seu histórico na Casa, Sabino já foi relator de propostas, como, no ano passado, do PL 1518, que deu origem à Lei Aldir Blanc 2 de fomento ao setor cultural, e, em 2021, do PL 2337, que propôs alterações no imposto de renda, que está parado no Senado.

    O que faz o Ministério do Turismo e qual seu orçamento

    Ministério do Turismo foi criado em 2003, durante a primeira gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e tem como atribuição o desenvolvimento da política nacional de turismo sustentável.

    A pasta também realiza a promoção e divulgação do turismo nacional, no país e no exterior, com estímulo à inovação, ao empreendedorismo e às iniciativas públicas e privadas de atividades turísticas.

    O ministério também faz o planejamento, a coordenação, a supervisão e a avaliação dos planos e dos programas de incentivo ao turismo. Bem como a criação de diretrizes para a integração das ações de desenvolvimento do setor entre o governo federal e as administrações estaduais, distrital e municipais.

    Junto aos demais ministérios, a pasta realiza medidas para a melhoria de infraestrutura, geração de emprego e renda, e se dedica ao enfrentamento de crises climáticas nos destinos turísticos.

    É responsável pela regulação, fiscalização e ao estímulo à formalização, certificação e classificação de atividades, empreendimentos e equipamentos de prestadores de serviços turísticos. O ministério auxilia em programas de financiamento, acesso ao crédito e na gestão do Fundo Geral do Turismo.

    No orçamento de 2023, foram disponibilizados R$ 4,1 bilhões para o desenvolvimento de suas atividades.

    *publicado por Tiago Tortella, da CNN

    *com informações de Léo Lopes, da CNN