Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Padilha diz que União Brasil está avaliando suas indicações para ministérios de Lula

    Líder do governo no Senado sinaliza que divergência interna do partido pode derrubar ministra do Turismo

    Reprodução/CNN

    Cristiane NobertoEduardo Hahonda CNN

    em Brasília

    O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, admitiu que, a pedido do União Brasil, o governo está avaliando a permanência dos ministros indicados pela legenda. Segundo Padilha, a sigla está reavaliando os nomes dos três indicados a ministérios e o governo “sempre esteve à disposição e aberto” ao diálogo com a base aliada.

    Padilha ainda afirmou que o União Brasil não apresentou nada especificamente sobre um ou outro ministro, mas que está na pauta discutir com o partido a reformulação das indicações.

    No entanto, a pressão está sob o nome de Daniela Carneiro, do Ministério do Turismo, especialmente porque o marido dela, o prefeito de Belford Roxo, Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho (Republicanos-RJ), se reuniu com a bancada do Republicanos na Câmara dos Deputados e com dirigentes em uma tentativa de manter a esposa no cargo como indicação da sigla, transformando o partido em base aliada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), como mostrou o analista de Política da CNN Leandro Resende.

    “O presidente sempre esteve à disposição e aberto, não só à Daniela, no Turismo, que o presidente inclusive considera o trabalho dela bastante positivo. Amanhã, a Daniela estará na Câmara mostrando seu trabalho. Nosso líder do governo na Câmara tem buscado, inclusive, os acolher da melhor forma possível, de maneira respeitosa, valorizando o trabalho que vem sendo feito. Estará no Senado também nesta semana, da mesma forma. O presidente Lula tem carinho pelos 37 ministros e ministras, inclusive a ministra Daniela”, disse.

    Padilha ainda acrescentou que a decisão é do partido: “Neste momento, o partido que indicou o desejo de analisar os ministros foi o União Brasil, e o governo acolhe o pedido para ouvir e discutir. Quem avalia, quem nomeia, quem troca, é o presidente da República, ouvindo seus ministros e ministras. O que está em aberto é a discussão com o União, que avalia suas indicações. Este tema está na agenda, e nós vamos discutir ao longo desta semana”.

    Já o líder do governo no Senado, senador Jaques Wagner (PT-BA), apontou que este é um problema do União Brasil e não da base de governo. Segundo ele, há uma divergência interna porque a ministra Daniela está de saída da sigla.

    “Não há reforma ministerial em curso, há um problema localizado num partido e se eventualmente tiver que resolver vai ser sem desprezar ninguém. O prefeito Waguinho e a deputada Daniela foram extremamente corajosos em um ambiente bastante contrário e sustentaram a campanha do presidente Lula, então a gratidão do presidente Lula é total. Mas tem o drama do partido deles, e eles quem têm que administrar porque foram eles quem indicaram os nomes”, afirmou a jornalistas no Palácio do Planalto.