Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Parece que o mundo gira em torno deles”, diz Lula sobre jantar com empresários

    Ex-presidente também diz que não recebe voto dos banqueiros

    Da CNN

    Ouvir notícia

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou nesta sexta-feira (1º) empresários brasileiros, afirmando que “parece que o mundo gira em torno deles”. Segundo ele, “na cabeça dessa gente, não existe pobreza”.

    O pré-candidato do à Presidência também afirmou ter certeza de que não recebe o voto dos banqueiros e atacou a postura de bilionários que, em sua visão, se recusam a retribuir os trabalhadores com melhores salários. A declaração foi feita em entrevista à rádio Metrópole, de Salvador.

    “Eu tenho feito reuniões, vários jantares com empresários, e eu faço porque eu gosto de discutir abertamente. É o seguinte: na cabeça dessa gente, não existe pobreza. Não existe fome, não existe gente dormindo na rua, na sarjeta, não tem criança morrendo de desnutrição. Essa gente só fala em teto de gasto, em política fiscal, ou seja, eles não falam em política social, em distribuição de renda, em distribuição de riqueza”, disse.

    Lula afirmou que os empresários parecem viver numa “redoma de vidro em que o mundo gira em torno deles e dos interesses deles”.

    “Esses dias eu fiz reunião com alguns banqueiros importantes e falei: ‘porra, vocês não pensam no povo? Vocês não pensam na pobreza? Vocês não pensam no povo que tá na rua? Vocês não pensam no povo que não tem o que comer? Vocês só querem ganhar dinheiro’”, criticou.

    Banqueiro não vota em mim, diz Lula

    Na sequência, o petista afirmou que não recebe votos dos banqueiros e criticou os empresários do setor.

    “Banqueiro não vota em mim. Eu tenho certeza de que não vota em mim, porque eles olham a minha pele assim e falam: ‘pô, esse cara nem sabe falar direito, esse cara é nordestino, não tem diploma universitário, depois esse cara ganha e ele quer aumentar salário de trabalhador, depois ele quer regularizar trabalho da empregada doméstica, depois a empregada da minha mulher vem trabalhar na sexta-feira com perfume que a minha mulher usa”, disse.

    O petista afirmou sofrer oposição dos banqueiros por “estimular o povo pobre a comprar carro e aí o trânsito vai ficar pior”. “Esse presidente pobre vai incentivar o povo a viajar de avião e aí os aeroportos vão virar rodoviária. Então, não pode, tem que vir alguém que não cheira e nem fede, sabe? As pessoas que são neutras, não fazem bem, não fazem mal, mas também não fazem nada. E o Brasil tá precisando de alguém que faça alguma coisa”, declarou.

    “Bravo” com a situação do Brasil

    Lula também disse que governará “para 220 milhões de brasileiros”, mas que “o povo pobre vai ter prioridade”. Segundo ele, 70 milhões de pessoas foram bancarizadas durante sua gestão por meio das políticas de inclusão social implementadas pelo governo federal. Ele voltou a fazer críticas aos mais ricos na sequência.

    “Essas pessoas não podem ser ignorantes de quererem só acumular riqueza. ‘Ah, o fulano é o mais rico do mundo, tem 50 bilhões de dólares, o outro tem 70 bilhões. Pra quê? Você vai gastar no quê? Pra que você quer acumular tanto dinheiro, imbecil? Distribua parte disso em salário. Porque, na verdade, quando o cara diz que acumulou 70 bilhões, não foi ele não, porque ele não levantou de manhã pra trabalhar, ele apenas teve dinheiro pra colocar em prática. Ele deve o crescimento dele ao povo trabalhador. Então retribua com um pouco de salário, com alguns benefícios”, disse o ex-presidente.

    Lula também afirmou estar “bravo” com a situação no país e admitiu que seu discurso poderia afastar alguns eleitores.

    “Quando eu faço esse discurso aqui, tem muita gente que fala: ‘ah, não dá pra votar no Lula não, porque esse Lula tá muito bravo’. Tô bravo mesmo porque eu não posso aceitar a fome, uma criança pedindo esmola na rua. Não posso aceitar uma mulher no país que é o primeiro produtor de proteína animal no planeta terra entrar num açougue pra ficar esperando osso. Eu não me conformo”, declarou.

    Debate

    CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

    Fotos – Os pré-candidatos à Presidência

    *Publicado por Marcelo Tuvuca, com informações de Laura Slobodeicov, da CNN

    Mais Recentes da CNN