Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Parlamentares gaúchos se reúnem com autoridades federais nesta segunda-feira

    Encontro, que ocorrerá de maneira semipresencial, tem o objetivo de traçar estratégias para enviar apoio ao Rio Grande do Sul

    Taísa Medeirosda CNN Brasília

    A bancada gaúcha no Congresso Nacional, composta por 31 deputados e três senadores, tem reunião marcada nesta segunda-feira (6) de manhã com ministros do governo federal.

    Até o momento, há previsão da presença do ministro-chefe da Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República, Paulo Pimenta; de Renan Filho, ministro dos Transportes; Nísia Trindade, da Saúde; e Waldez Góes, do Desenvolvimento Regional.

    Essa é a segunda reunião organizada pela bancada desde o início das enchentes no estado. A última ocorreu na sexta-feira (3), na Assembleia Legislativa gaúcha. Um dos pedidos foi de que emendas parlamentares fossem liberadas imediatamente.

    “Pedimos a liberação imediata dos R$ 450 milhões da bancada gaúcha na área da saúde e também um recurso, que não é muito, da assistência social e do Ministério da Agricultura. A reunião foi de sugestão, mas também de encaminhamento imediato. Falamos com o presidente Arthur Lira (PP-AL), da Câmara, e queremos apresentar projetos já na segunda-feira”, resumiu o deputado federal Marcon (PT-RS), coordenador da bancada.

    Visita

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) esteve no Rio Grande do Sul novamente neste domingo (5), desta vez em Porto Alegre. Em entrevista coletiva no estado, anunciou ajuda federal para o Rio Grande do Sul e pediu que parlamentares liberem emendas para o estado, atingido por fortes temporais há dias.

    “O nosso companheiro Alexandre Padilha (…) vai tentar juntar bancada e ver o que é possível fazer. Eu sei que os deputados têm um monte de emenda, se cada deputado liberar as emendas para o Rio Grande do Sul, serão alguns milhões que você terá imediatamente para poder começar a consertar”, disse o presidente.

    O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) também defendeu a liberação de recursos. Pacheco ressaltou a necessidade de união dos poderes para atender às demandas do povo gaúcho.

    “A liberação das emendas para os parlamentares do Rio Grande do Sul haverá de ser uma prioridade. A liberação de recursos hoje alocados nas comissões do Parlamento brasileiro devem ter como prioridade o Rio Grande do Sul”, declarou.

    O próprio presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) reconheceu a necessidade de medidas extraordinárias para socorrer as vítimas das fortes enchentes que atingiram o estado. O presidente da Câmara informou ter convocado para esta segunda-feira (6) uma reunião do colégio de líderes da Casa para discutir o que pode ser feito.

    “Líderes já estão convocados para amanhã, logo cedo, para que, junto ao Senado Federal, a parte técnica das duas Casas, os líderes partidários possam discutir sobre causa e efeito disso que vem acontecendo repetidamente no Brasil”, complementou.