Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PF pede ao STF prorrogação para apurar dados da CPI da Pandemia contra Bolsonaro

    Segundo a Polícia Federal, nem o Senado ou a PGR enviaram os dados necessários para as diligências

    CPI da Pandemia fez um minuto de silêncio em homenagem aos 605.884 mortos por Covid-19 no Brasil
    CPI da Pandemia fez um minuto de silêncio em homenagem aos 605.884 mortos por Covid-19 no Brasil Pedro França/Agência Senado

    Brenda SilvaGabriela Coelhoda CNN

    em Brasília

    A Polícia Federal (PF) pediu para o Supremo Tribunal Federal (STF) a prorrogação do prazo de análise dos materiais da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia contra o presidente Jair Bolsonaro (PL).

    O despacho, assinado nesta quarta-feira (9), afirma que os dados ainda não foram enviados à PF pelo Senado Federal ou pela Procuradoria-Geral da República (PGR), como deveriam. O pedido foi direcionado ao relator do caso no STF, ministro Luiz Fux.

    A PF é a responsável por realizar a indexação e diligências necessárias sobre os indícios de crime apontados no relatório final da CPI da Pandemia no Senado. A instituição afirma que pediu o material necessário ao Senado em maio, e à PGR em agosto.

    A investigação em questão trata de suposta prática de charlatanismo pelo presidente da República, o crime ocorre quando é anunciada cura por meio secreto ou infalível. Bolsonaro é denunciado por fazer o Governo Federal reafirmar a cloroquina como medicamento preventivo para a Covid-19, mesmo sem comprovação científica de que a substância fosse eficiente contra a doença.

    Por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), Bolsonaro tinha pedido arquivamento da análise, assim como a PGR. Segundo a Procuradoria, “os fatos em apuração não ensejam a instauração de inquérito sob supervisão do Supremo Tribunal Federal” e a própria CPI da Pandemia realizou a indexação e diligência sobre o assunto.