PL fala em entregar cargos caso Bolsonaro promova atos de radicalização

Sigla comunicou decisão à ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, filiada ao partido

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) Alan Santos/PR

Daniela LimaIuri Pittada CNN

em São Paulo e em Brasília

Ouvir notícia

O PL, partido de Valdemar da Costa Neto, que integra a base do governo Jair Bolsonaro, enviou um recado nesta quarta (8) ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A direção da sigla se reuniu e decidiu avisar que, caso Bolsonaro promova qualquer ato de radicalização, vai entregar os cargos e deixar a base do governo.

A sigla comunicou a decisão à ministra Flávia Arruda (Secretaria de Governo), que é filiada ao partido.

A decisão ocorre um dia após o presidente ter utilizado os atos que convocou no 7 de Setembro para ameaçar o Supremo Tribunal Federal (STF) e, em especial, o ministro Alexandre de Moraes.

Bolsonaro também voltou a ameaçar as eleições, dizendo que não participaria de uma farsa e que exige contagem pública de votos.

Mais Recentes da CNN