“Popularidade de Bolsonaro não aumentou em mil dias”, diz cientista político

Para Fernando Abrucio, Bolsonaro perdeu muitas bandeiras durante seu mandato

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Em mil dias de governo, Jair Bolsonaro (sem partido), em meio à rejeição recorde, adotou um tom moderado, nos últimos dias. Para o cientista político Fernando Abrucio, em entrevista à CNN, a medida aconteceu porque a popularidade do presidente não aumentou durante o período, e ele precisa visar o futuro se quiser a chance de se reeleger em 2022.

“Quando ele fala hoje que as Forças Armadas não cumpririam uma ordem absurda, ele já percebeu que não adianta fazer aquele discurso mais duro, de ameaça, porque 75% da população brasileira é contra isso. Hoje, Bolsonaro está procurando um discurso. Aquele do 7 de setembro acabou”, disse o cientista político.

“Ele procura um discurso porque os mil dias não foram suficientes para aumentar a popularidade dele. Então, ele tem que pensar no futuro, caso queira ter chances nas eleições do ano que vem”, complementou Abrucio.

Ainda segundo o cientista político, Bolsonaro perdeu muitas bandeiras durante seu mandato, mas que ainda há três em que o presidente pode se apoiar para tentar a reeleição em 2022.

“A questão dos valores da família, valores cristãos; esse discurso do Brasil precisar de um governo de força, que atinge um eleitor mais de extrema direita; e o dinheiro que ele precisa para distribuir para deputados e para os mais pobres”, afirmou Abrucio.

(Publicado por Evandro Furoni)

Mais Recentes da CNN