Por eleições, Bolsonaro oficializa saída de dez ministros nesta quinta-feira (31)

Integrantes da equipe de governo devem disputar cargos no pleito deste ano — com exceção de Braga Netto, da Defesa

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, filiaram-se ao Republicanos
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, filiaram-se ao Republicanos Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agênci

Vianey BentesHenrique Andradeda CNN

em Brasília e São Paulo

Ouvir notícia

Dez ministros deixaram os cargos nesta quinta-feira (31). Todos devem concorrer nas eleições deste ano. A lei determina que integrantes do Executivo devem deixar as funções em até seis meses antes do pleito.

Os ministros saem para disputar cargos para governos de Estados, Senado e Câmara dos Deputados. A maioria será substituída por os atuais secretários-executivos.

Walter Braga Netto, possível indicado para vice-presidência na chapa de Jair Bolsonaro, foi o único nomeado para outro cargo dentro do governo. Ele deixa o Ministério da Defesa para ser o novo assessor-especial do gabinete pessoal do presidente da República. As limitações da lei abrangem apenas cargos de chefia dentro da estrutura federal — não incluem, portanto, cargos de assessoria.

As exonerações, todas a pedido, foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (31).

Os ministros que anunciaram despedida são:

  • Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos;
  • Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura;
  • Onyx Lorenzoni, do Trabalho e Previdência;
  • Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia;
  • Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional;
  • Tereza Cristina, da Agricultura;
  • Flávia Arruda, da Secretaria de Governo;
  • João Roma, da Cidadania;
  • Gilson Machado, do Turismo
  • Walter Braga Netto, da Defesa

Quem assume os cargos:

  • Cristiane Britto no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos;
  • Marcelo Sampaio no Ministério da Infraestrutura;
  • José Carlos Oliveira no Ministério de Trabalho e Previdência;
  • Paulo César Rezende de Carvalho Alvim no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações;
  • Daniel de Oliveira Duarte Ferreira no Ministério do Desenvolvimento Regional;
  • Marcos Montes Cordeiro no Ministério da Agricultura;
  • Célio Faria Júnior na Secretaria de Governo;
  • Ronaldo Bento no Ministério da Cidadania;
  • Carlos Brito no Ministério do Turismo;
  • Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira no Ministério da Defesa

O delegado Alexandre Ramagem, chefe da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) é outro que deixou o cargo. ainda sem nomeação de substituto. O secretário especial da Cultura, Mário Frias, também teve sua exoneração publicada no DOU desta quinta.

Entre os novos ministros, como indica a lista acima, estão Ronaldo Bento, secretário de Assuntos Estratégicos, para substituir João Roma; Carlos Brito, presidente da Embratur, para ocupar o lugar de Gilson Machado; e Marcelo Sampaio, atual secretário-executivo da Infraestrutura, na vaga de Tarcísio de Freitas.

No Ministério da Mulher, assume Cristiane Britto, atual chefe da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres.

*Com informações de Giovanna Galvani, da CNN

Mais Recentes da CNN