De saída do governo, Tarcísio e Damares se filiam ao Republicanos

Ministro da Infraestrutura é pré-candidato ao governo de São Paulo; ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos não anunciou se irá disputar algum cargo público

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves,
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agênci

Douglas Portoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, se filiaram, nesta segunda-feira (28), ao Republicanos.

Ambos devem deixar em breve o governo, já que a Justiça Eleitoral estabelece até o dia 2 de abril como prazo para desincompatibilização de funcionários públicos que pretendem ser candidatos na disputa deste ano.

Pregando os lemas “Deus, pátria, família e liberdade” e “o Brasil quer ser conservador”, Damares não anunciou se será candidata no pleito.

Tarcísio é no momento pré-candidato ao governo de São Paulo. Durante o evento, o deputado federal Gilberto Nascimento anunciou que o PSC irá fazer parte de sua coligação.

O ministro ainda busca o apoio do Progressistas (PP) e do Partido Liberal (PL) para compor sua chapa. Apesar de compor a base do presidente Jair Bolsonaro (PL), o Republicanos precisa fechar um acordo com as siglas regionalmente. As informações são da analista de política da CNN Renata Agostini.

O PL, que apoiava o governo de João Doria (PSDB), é hoje o partido preferencial para ter o nome do vice-governador na coligação com Tarcísio.

A ida de Tarcísio e Damares aconteceu após a entrada formal do Republicanos na coligação de reeleição de Bolsonaro. A aliança foi firmada em um acordo com o presidente do partido, deputado federal Marcos Pereira, segundo o analista de política da CNN Caio Junqueira.

O vice-presidente Hamilton Mourão já havia se filiado à legenda em 16 de março. Na ocasião, o general confirmou sua pré-candidatura ao Senado Federal pelo estado do Rio Grande do Sul nas eleições de 2022.

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Mais Recentes da CNN