Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Inflação é principal problema econômico do país, diz pesquisa Quaest

    Para 56% dos entrevistados em pesquisa, conjuntura econômica influencia “muito” na escolha do voto

    Inflação acumulada nos 12 meses até abril passa de 12%
    Inflação acumulada nos 12 meses até abril passa de 12% Getty Images

    Da CNN

    em São Paulo

    A inflação, que atingiu 12,13% nos 12 meses acumulados até abril, de acordo com o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), é o principal problema econômico apontado pelos eleitores brasileiros, segundo pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira (8).

    A preocupação com o tema subiu cinco pontos percentuais entre maio e junho, enquanto a crise econômica e o desemprego tiveram queda no mesmo período de sete e quatro pontos percentuais, respectivamente, entre os principais problemas na área da economia, de acordo com o levantamento.

    Registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-03552/2022, a pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 2.000 pessoas de forma presencial entre 2 e 5 de junho.

    Entre os problemas gerais que mais preocupam os eleitores, a economia continua sendo o mais citado. O tema foi lembrado por 44% dos entrevistados, seguido por saúde/pandemia (15%), questões sociais e corrupção (cada um deles com 11%) e violência (8%).

    Para 57% dos eleitores, a capacidade de pagar contas nos últimos três meses piorou. A situação financeira teve melhora para 22% dos entrevistados, e para outros 20% permaneceu igual.

    Segundo a pesquisa, cerca de dois terços (63%) do eleitorado também afirmou considerar que a economia brasileira piorou no último ano ― 21% disseram que o quadro ficou igual, e 15% citaram melhora na situação.

    A expectativa da metade (50%) dos entrevistados, porém, é de melhora em relação à economia brasileira para os próximos 12 meses. Para 25%, ela deve piorar, e 20% afirmaram que a situação deverá continuar igual.

    A influência da economia no voto

    Mais da metade dos entrevistados leva em consideração a questão econômica na hora de decidir em quem votar, segundo o levantamento. Para 56% dos eleitores, o assunto determina “muito” a escolha do candidato ― 10% responderam que o tema interfere “mais ou menos”, 11% que influencia “pouco”, e 20% que “não influencia”.

    Há uma diferença, porém, do grau de preocupação com a economia entre os eleitores de diferentes candidatos. Os que se identificam com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por exemplo, dão mais importância ao tema do que os eleitores do presidente Jair Bolsonaro (PL).

    Para 61% das pessoas que preferem Lula, a conjuntura econômica influencia “muito” o voto ― 9% disseram que o tema interfere “mais ou menos”, outros 9% disseram que influencia “pouco”, e 16% que “não influencia”.

    Em relação aos eleitores de Bolsonaro, o tema tem grande importância para 47%. Para 13%, o assunto influencia “mais ou menos”. Outros 14% disseram que a questão tem “pouca” influência sobre o voto, e 24% que “não influencia”.

    A pesquisa também perguntou aos eleitores sobre a responsabilidade em relação ao aumento dos combustíveis. Em meio à alta dos preços, o presidente tem afirmado que a pandemia e a guerra na Ucrânia são os principais fatores determinantes da situação.

    Bolsonaro, porém, é o mais citado como responsável pelo aumento. Ele é lembrado por 28% dos entrevistados.

    Debate

    CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

    Fotos – Os pré-candidatos à Presidência

    (Publicado por Estêvão Bertoni)