Presidente do Cidadania diz que assédio a deputada foi ‘ato individual’

Para Roberto Freire, partido não pode ser responsabilizado por conduta de Fernando Cury na Alesp e que caso tem 'grande prova', o vídeo do ato

O ex-deputado e ex-ministro Roberto Freire, presidente nacional do Cidadania
O ex-deputado e ex-ministro Roberto Freire, presidente nacional do Cidadania Foto: Cidadania/Reprodução

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O Cidadania não terá recesso em suas instituições partidárias e pretende analisar o quanto antes o pedido para expulsar o deputado estadual Fernando Cury, informou à CNN neste sábado (19) o presidente nacional do partido, Roberto Freire.

“Não acredito que vá demorar. O Conselho de Ética não terá férias e nem recesso”, disse Freire, que defendeu as etapas que o partido está adotando antes de uma possível expulsão. “Não podemos deixar de cumprir o que manda a Constituição: Todos têm direito de defesa, mesmo no caso de um flagrante”.

Apesar do processo, o presidente do Cidadania, que não adianta seu foto no comitê interno, sugere que o parlamentar deva ser desligado do partido. “O que eu posso dizer é que o nosso estatuto prevê a pena de expulsão”, disse.

Assista e leia também:

Deputada Isa Penna quer que colega que a assediou seja cassado na Alesp

Presidente do Conselho de Ética da Alesp: ‘Cena causou bastante constrangimento’

Na quarta-feira (16), Cury foi filmado no plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) em cena de abuso contra a colega de parlamento, Isa Penna (PSOL). Fernando Cury aborda Isa por trás e apalpa os seios da parlamentar, que conversava com o presidente da Alesp, Cauê Macris (PSDB).

Freire defendeu a separação entre a “pessoa física” de Cury e a “pessoa jurídica” do partido. “Aquilo foi um constrangimento, uma coisa absurda e sem justificativa alguma. Mas o crime é um ato individual. O partido tomou as medidas cabíveis, levando ele ao Conselho de Ética e afastando das funções partidárias”, afirmou.

Roberto Freire relatou à CNN estar “surpreso” com a conduta do parlamentar, que não teria dado indicativos de propensão a esse tipo de atitude. “É bem surpreendente porque ele nunca demonstrou nada disso. Nem eu nem ninguém do partido tinha informação de que ele fosse apto a esse tipo de coisa.”

Apesar de já estar afastado do Cidadania, Fernando Cury segue sendo deputado estadual. Há um pedido no Conselho de Ética da Alesp para que os parlamentares discutam uma possível expulsão, mas o recesso parlamentar pode arrastar a análise do caso para fevereiro.

Isa Penna registrou boletim de ocorrência contra Cury, acusando-o do crime de importunação sexual.

Defesa

Veja a nota de Fernando Cury:

“A respeito dos fatos citados, esclareço que em nenhum momento houve o sentido de desrespeitar a colega deputada Isa Penna durante esse gesto.

De fato, me aproximo dela para participar da conversa junto ao presidente da Casa, sem incitação ou conotação de tal cunho relacionado à violência contra a mulher.

No momento, ao perceber a reação da deputada Isa Penna, fiz questão de pedir desculpas para evitar qualquer mal entendido. Logo no começo do vídeo divulgado, se exibido na íntegra, é possível ver que estou “abraçado” a outro colega deputado, demonstrando assim que meu comportamento em nada tem a ver com a denúncia.

No próprio plenário, já me pronunciei sobre o caso e fico à disposição para qualquer esclarecimento.

Sou casado, pai de dois filhos e reconheço a importância de um bom exemplo dentro de casa. Recrimino todo tipo de abuso e violência contra a mulher, e reforço meu respeito e luta para nessa questão de grande relevância e destaque para nossa sociedade.

Fernando Cury
deputado estadual”

Mais Recentes da CNN