Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PSDB e Cidadania recusam convite para participar de reunião de líderes com Lula

    Decisão foi tomada pelas legendas, que defendem não compor a base aliada.

    Larissa RodriguesJulliana Lopesda CNN

    Brasília

    O PSDB e o Cidadania já avisaram ao Palácio do Planalto que não irão participar da reunião desta quinta-feira (22) com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no Palácio da Alvorada.

    O presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) vai participar do encontro.

    O governo decidiu convidar os representantes do PSDB e do Cidadania – partidos que formam uma federação – já que as duas legendas tem votado de forma favorável em pautas de interesse do Palácio do Planalto no Congresso Nacional.

    Ao justificar a recusa, na manhã desta quinta, as siglas avisaram que não fazem parte da base aliada e, assim, não faria sentido participar do encontro. De maneira reservada, um tucano afirmou que o partido respeita “a institucionalidade e joga a favor do Brasil”.

    Internamente, PSDB e Cidanania vivem momentos de crises e impasses sobre os rumos dos partidos. As disputas envolvem os comandos dos diretórios e a falta de consenso sobre uma aproximação com o governo e o apoio das siglas às candidaturas nas eleições municipais.

    Atualmente o partido dos tucanos é comandado por Marconi Perillo (GO) que tem defendido ser oposição ao governo Lula.

    Como a CNN mostrou, a reunião com líderes partidários é uma tentativa de Lula de se aproximar dos deputados federais.

    O encontro foi combinado com Lira após reclamações sobre acordos que não teriam sido cumpridos pelo Planalto com os parlamentares.

    O presidente Lula pretende apresentar aos deputados da base governista as prioridades para as votações de 2024.

    A lista inclui a regulamentação da reforma tributária, a medida provisória (MP) que prevê a reoneração da folha de pagamentos e a fiscalização de benefícios do Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse).

    De acordo com fontes, com o gesto, Lula também inicia articulações na busca de nomes viáveis para a sucessão Lira no comando da Câmara dos Deputados.