PT aprova federação com PCdoB e PV

Partido deve ainda avaliar aprovação de nome de Geraldo Alckmin para vice-presidência em chapa com Lula e uma proposta de coligação com o PSB

Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República
Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República EMERSON NOGUEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Bianca Camargoda CNNGabriela PradoGiovanna Galvanida CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

O PT aprovou a federação com PCdoB e PV durante uma reunião do diretório nacional do partido realizada nesta quarta-feira (13).

Cerca de 90 partidários estiveram presentes na sessão virtual, que também analisou e aprovou o estatuto da federação formada entre as siglas — cuja união já havia sido selada em março.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nome da federação para concorrer às eleições presidenciais, não participou do debate porque retornava de Brasília a São Paulo.

Na pauta do encontro, também está a aprovação do nome de Geraldo Alckmin como pré-candidato à vice-Presidência da República na chapa com Lula. O ex-governador paulista foi indicado pelo PSB na última sexta-feira (8).

Além disso, o PT também deverá avaliar, na parte da tarde, a proposta de uma coligação com o PSB. Os partidos trabalhavam inicialmente com a ideia de formar uma federação, mas as negociações não avançaram.

Na federação estabelecida hoje entre PT, PV e PCdoB, há um quórum qualificado de 75% ou 3/4 e uma assembleia de 60 membros, com direção executiva de 12 pessoas. A presidência da federação é rotativa a cada ano. Cabe ao maior partido iniciar a presidência.

Veja como ficou a composição da assembleia e da comissão:

Assembleia Geral:

  • PT: 41 (3+38) – 68,33%
  • PCdoB: 10 (3+7) – 16,67%
  • PV: (3+6) – 15%

Comissão Executiva:

  • PT: 8 (pres+7)
  • PCdoB: 2 (pres+1)
  • PV: 2 (pres+1)

Federações e coligações

As federações permitem que dois ou mais partidos atuem de forma unificada e permanente durante as eleições e na legislatura, devendo permanecer com a união em âmbito nacional por no mínimo quatro anos.

Elas foram promulgadas pelo Congresso Nacional em setembro de 2021, na Reforma Eleitoral, e julgadas constitucionais pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em fevereiro. Os partidos têm até o dia 31 de maio para definir se querem formar federações.

Já as coligações, que serão autorizadas nas eleições 2022 somente para o pleito majoritário — ou seja, para disputas de governos estaduais, Senado ou presidência da República –, são apoios entre os candidatos e partidos que podem ser celebrados de diferentes formas ao redor do país e que se mantêm limitados ao período eleitoral.

Debate

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

*Com informações de Tainá Falcão, da CNN

Mais Recentes da CNN