Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Recursos necessários para o RS serão 100% garantidos, diz ministro Waldez Góes à CNN

    Ministro está no Rio Grande do Sul desde sábado (4). Segundo ele, Lula deve editar medida provsória em breve

    Victor Aguiarda CNN*Basília Rodriguesda CNN

    São Paulo e Brasília

    O ministro do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes (PDT), afirmou que o governo federal disponibilizará quantos recursos forem necessários para auxiliar na reconstrução dos estragos deixados pelas chuvas no Rio Grande do Sul, e que uma medida provisória também deve ser editada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em breve.

    A declaração foi dada em entrevista ao jornal CNN Novo Dia, exibido de segunda a sexta a partir das 6h.

    “Esses recursos serão garantidos, 100% do que for necessário”, disse o ministro. “O limite é a necessidade, ou seja, não tem limite, uma vez que o presidente já alinhou e já anunciou que vai fazer isso.”

    Ainda de acordo com Góes, o foco agora é o levantamento de informações para definição dos destinos dos recursos.

    “O que nós vamos precisar é aguçar todo o levantamento. Nós não podemos anunciar a reconstrução de dezenas de pontes, de pontos de estrada, ou centenas, sem ter o cálculo definido pelo governo federal, estadual ou municipal”, afirmou.

    Apesar de a ação ainda não ter sido oficializada, o ministro, que está no Rio Grande do Sul, reafirmou que Lula “deverá editar” uma medida provisória, “mesmo que algumas ações já tenham iniciado”.

    Operações a partir de agora

    Durante a entrevista, Góes também falou sobre o andamento das operações no estado até agora. Segundo ele, as forças de segurança estão entrando em uma nova fase, em que é necessário enxergar “pelo menos três frentes”.

    “Durante uma semana, o foco 100%, e deve permanecer no maior grau, foi salvar vidas, abrigar as pessoas, dar assistência às pessoas. Porém, a partir de agora, nós temos que enxergar pelo menos três frentes complementares”, avaliou o ministro.

    “Ao baixar [a água], as prioridades da sociedade que antes precisava ser resgatada, abrigada, a gente continua cuidando das pessoas, mas precisa trabalhar todo o restabelecimento, seja de limpeza, desobstrução, conectividade, energia, e depois os planos de reconstrução”, afirmou.

    “E surge uma terceira situação, de novidades de alagamento na bacia do Uruguai. É uma realidade diferente da semana que nós vivemos, e talvez mais desafiadora.”

    Waldez Góes está no Rio Grande do Sul desde sábado (4). Além dele, ministros como Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação Social), Nísia Trindade (Saúde), Renan Filho (Transportes) e o próprio presidente Lula também estão acompanhando operações e realizando reuniões com dirigentes estaduais e municipais.

     

    Com informações de Basília Rodrigues, Muriel Porfiro, Pedro Duran, Teo Cury e Daniel Rittner