Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Relator de indicação de Dino diz à CNN esperar 53 votos no Senado

    Ministro da Justiça será sabatinado no dia 13 de dezembro; senadores irão apreciar nome de Dino para vaga no STF

    Douglas Portoda CNN

    São Paulo

    Se fosse agora a abertura do painel no Senado Federal, eu colocaria 53 votos no plenário a favor de Flávio Dino, disse o senador Weverton (PDT-MA), relator da sabatina de indicação do ministro da Justiça e Segurança Pública ao Supremo Tribunal Federal (STF) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

    “Ao meu juízo, ele tem um piso. O que seria esse piso? Qual é a quantidade mínima que ele teria hoje dentro da Casa, por conta das nossas relações dentro da Casa. Quem nos conhece, sabe que nós dialogamos com todos os senadores e conversamos com todos eles”, explicou Weverton.

    “Eu sempre disse, o piso dele, 50 ‘rígidos’ e ele tem um teto de 62 [votos]. Por que o teto de 62? Daí em diante são os rígidos também contrários. Entre 50 e 62, você tem um número para administrar. Hoje, se fosse agora, a abertura do painel no Senado Federal, eu colocaria 53 no plenário a favor do Flávio Dino”, afirmou.

    De acordo com o parlamentar, na CCJ, Dino deve ter um placar apertado de 15 votos favoráveis e 12 contrários, devendo existir ajustes até o dia 13 de dezembro, data da sabatina.

    “A CCJ é um órgão consultivo. Então, vamos supor que ele não passasse na CCJ, ela é apenas consultada. Então ele vai para o plenário de toda forma, é onde a palavra que vale, deliberativa”, citou o relator.

    Nesta quarta, Weverton fez a leitura do relatório da indicação de Dino. O ato faz parte do processo de análise dos nomes na Casa.

    Na ocasião, o senador voltou a elogiar o histórico acadêmico e político de Dino. “Trata-se de uma figura reconhecida e admirada nos mundos jurídico e político. Ex-professor de duas universidades federais, mestre em Direito, ex-juiz, senador, ministro de Estado, ex-governador, alguém que teve experiências exitosas no exercício de funções dos Três Poderes da República”, disse.

    Tópicos

    Tópicos