Rezende: Procuração de Bolsonaro a Wassef sinaliza retomada do caso Adélio

No quadro Liberdade de Opinião, jornalista Sidney Rezende analisou documento em que presidente dá amplos poderes a advogado

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta quarta-feira (9), Sidney Rezende repercutiu a procuração assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na qual dá amplos poderes para o advogado Frederick Wassef representá-lo judicialmente. 

Para o jornalista, a ação de Bolsonaro demonstra dois cenários: o primeiro, é a confiança do presidente em Wassef. “Ninguém assina uma procuração se não se confia no advogado. Porque procuração, em tese, dá plenos poderes e é um documento que autoriza uma pessoa a fazer trâmites de qualquer natureza em nome de outra que não pode estar presente fisicamente”, afirmou Rezende.

“O segundo elemento é que nos dá uma sensação de que o presidente vai voltar com o tema de campanha [eleitoral] da facada do Adélio porque foi apresentada uma ação pela OAB-MG e pelo Conselho Federal da OAB em favor do advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, que defendeu por um período Adélio Bispo, autor da facada contra Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018”, analisou.

“Tudo indica que o presidente está reavivando ou vai reviver esse caso com a defesa de Wassef, que gosta de mídia, ele é safo em seu relacionamento com a mídia geral e vai partir pra dentro dessa história do Adélio — por mais que a Polícia Federal não tenha encontrado o que o presidente gostaria, que era um elo entre Adélio e partidos de esquerda; isso não foi comprovado”, concluiu Rezende.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (9.jun.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN