Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Roberto Jefferson se torna réu por atirar contra policiais federais

    Ex-deputado federal é acusado de tentativa de homicídio por disparar e atirar granadas contra agentes da PF em outubro

    Gabriela Coelhoda CNN

    Em Brasília

    A juíza Abby Ilharco Magalhães, da 1ª Vara Federal de Três Rios (RJ), aceitou denúncia e tornou réu o ex-deputado federal Roberto Jefferson por tentativa de homicídio contra quatro policiais federais, recebidos a tiros e granadas no dia 23 de outubro.

    O fato aconteceu quando a equipe tentava prender o ex-parlamentar na cidade de Comendador Levy Gasparian, no Rio de Janeiro.

    O ex-deputado responderá por quatro crimes: quatro tentativas de homicídio, crime de resistência qualificada, crime de posse ilegal de arma de fogo de uso restrito e munição de uso permitido e restrito (dois crimes condensados em um só) e posse de três granadas adulteradas.

    Segundo a magistrada, a denúncia foi instruída com elementos suficientes à demonstração de indícios e indicativos suficientes de autoria.

    “Encontra-se suficientemente delineada pela acusação a suposta resistência de Roberto Jefferson ao cumprimento da decisão proferida no âmbito do Supremo Tribunal Federal, considerando o relato da necessidade de negociação de aproximadamente sete horas após o início da diligência para que fosse executada a ordem de prisão e a busca e apreensão domiciliar. Os autos do inquérito policial também detalham a quantidade de armas e munições apreendidas na ocasião do flagrante, inclusive aquelas de uso restrito, bem como as que se caracterizam como artefatos explosivos ou adulteradas”, disse a juíza.

    Caso

    Em 22 de outubro, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, emitiu uma ordem de prisão, apontando descumprimento das medidas estabelecidas para prisão domiciliar.

    Após a determinação, agentes da PF foram até a casa do ex-deputado, mas foram recebidos a tiros e atacados com uma granada por Jefferson.

    Moraes, então, determinou a prisão em flagrante, por suspeita de tentativa de homicídio a dois policiais que ficaram feridos no ataque.

    Roberto Jefferson se entregou e começou a cumprir prisão no presídio de Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

    A CNN entrou em contato com a defesa do ex-parlamentar e aguarda manifestação.