Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Segundo pacote de joias está no acervo privado de Jair Bolsonaro

    Informação foi confirmada pela defesa do ex-presidente

    Daniela Limada CNN

    em São Paulo

    A defesa de Jair Bolsonaro (PL) confirmou que o segundo pacote de joias recebido pelo governo brasileiro da Arábia Saudita na gestão passada foi listado no acervo privado do ex-presidente.

    Isso contraria a informação de que ele teria sido incorporado ao acervo da Presidência da República.

    Há um documento que descreve que o assessor do ex-ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque, Antonio Carlos Ramos de Barros Mello, havia entregue ao Gabinete Adjunto de Documentação Histórica um estojo.

    Nele, estavam objetos da marca Chopard, como um masbaha rose gold; um relógio com pulseira em couro; um par de abotoaduras; uma caneta rose gold e um anel. Apenas o relógio está listado por R$ 223 mil reais.

    Integrantes da equipe do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) ouvidos pela CNN afirmaram que “esses objetos foram incorporados ao acervo público, da mesma forma que os outros [apreendidos pela Receita Federal] também seriam”.

    Em nota à CNN, a defesa de Jair Bolsonaro (PL) afirmou que o ex-presidente declarou oficialmente os bens de caráter “personalíssimo” recebidos em viagens, e que não existe irregularidades em suas condutas.

    O representante de Bolsonaro também disse que “certas informações” estariam sendo tiradas de contexto, gerando mal-entendido e confusão para o público, classificando o caso como “perseguição política”.

    A Receita Federal irá investigar se esse segundo pacote passou pelos trâmites aduaneiros corretos.