Senador pede que STF derrube candidatura de Rodrigo Pacheco ao Senado

Nunes Marques é o relator. Na ação, Kajuru diz que o atual presidente, Davi Alcolumbre (DEM-AP), faz “intervenções e cooptações” pró-Pacheco

Senador Rodrigo Pacheco
Senador Rodrigo Pacheco Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Gabriela Coelho, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) apresentou um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (29) para tentar barrar candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM-MG), hoje favorito à presidência do Senado. 

A definição do próximo presidente do Senado e a abertura do ano legislativo no Congresso Nacional marcam, a partir desta segunda-feira (1º), uma nova configuração política no âmbito do Poder Legislativo. 

Nunes Marques é o relator. Na ação, Kajuru diz que o atual presidente, Davi Alcolumbre (DEM-AP), faz “intervenções e cooptações” pró-Pacheco.

“Rodrigo Pacheco é candidato à Presidência do Senado para a sucessão de Alcolumbre no biênio 2021-2022, apoiado por este e pelo presidente Jair Messias Bolsonaro. Para garantir a eleição do seu escolhido, Bolsonaro tem feito inúmeras intervenções e cooptações, o que inclui distribuição de cargos e liberação de emendas”, diz o parlamentar em trecho da ação. 

Segundo o senador, a prática, ainda que corriqueira e histórica, é um atentado à democracia. “A prática adotada pelo Presidente da República, com a chancela do presidente do Senado, de interferir na eleição da Mesa Diretora da Casa Legislativa, é uma clara interferência ao princípio da independência e harmonia dos Poderes”, defende.

Procurado, Pacheco informou, por meio de sua assessoria, que não vai comentar porque desconhece o teor da representação e  porque a representação cita o presidente do Senado.

A assessoria de Davi Alcolumbre informou que ainda não foi comunicada oficialmente, mas afirma que o assunto é “interna corporis”.

Mais Recentes da CNN