Senadoras da CPI da Pandemia ganham projeção em eleição deste ano

Além da pré-candidatura presidencial de Simone Tebet, Eliziane Gama é cotada para o posto de candidata a vice-presidente e Leila Barros deve ser lançada à disputa ao governo do Distrito Federal

A bancada feminina, liderada pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), na CPI da Pandemia
A bancada feminina, liderada pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), na CPI da Pandemia Pedro França/Agência Senado

Gustavo Uribeda CNN

Brasília

Ouvir notícia

Sem ter sido indicada a nenhum posto de titular na CPI da Pandemia, a bancada feminina do Senado Federal exigiu espaço na comissão de inquérito, destacou-se nas audiências da comissão e tem ganhado projeção na disputa eleitoral deste ano.

Com atuação na linha de frente da comissão de inquérito, três senadoras que representaram a bancada feminina são pré-candidatas neste ano para cargos no Poder Executivo.

Nome do MDB para a disputa presidencial, a senadora Simone Tebet (MS) é cotada para encabeçar a candidatura da chamada “terceira via” na eleição deste ano.

Após perder disputa interna no partido para a eleição ao comando do Senado Federal, em 2019, a congressista se destacou na CPI da Pandemia, o que a projetou para a disputa eleitoral deste ano.

Atual líder da bancada feminina, a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) também teve presença de destaque na comissão de inquérito e, hoje, é cotada para o posto de candidata a vice-presidente caso os partidos de centro escolham o nome do ex-governador de São Paulo João Doria, do PSDB, para representar a “terceira via”.

Além da eleição nacional, a bancada feminina também deve ter participação em disputa estadual. Filiada ao PDT, a senadora Leila Barros deve ser lançada na próxima segunda-feira (18) ao governo do Distrito Federal. A expectativa é de que o evento tenha a participação do nome da sigla ao Palácio do Planalto, Ciro Gomes.

Além da bancada feminina, membros titulares e suplentes da CPI da Pandemia também devem participar das eleições deste ano. O senador Eduardo Braga (MDB), por exemplo, deve disputar o governo do Amazonas. E o senador Alessandro Vieira (Cidadania) é cotado para o governo de Sergipe.

Na tropa de choque governista, três senadores avaliam disputar o comando de gestões estaduais: Jorginho Mello (PL-SC), Marcos Rogério (PL-RO) e Luiz Carlos Heinze (PP-RS).

Mais Recentes da CNN