Suplicy interrompe Mercadante e cobra renda básica em programa do PT

Ainda durante evento lançamento das diretrizes de governo, homem grita durante discurso de Lula e é retirado por seguranças

Da CNN

Ouvir notícia

O vereador Eduardo Suplicy (PT) interrompeu nesta terça-feira (21) uma fala do presidente da Fundação Perseu Abramo, Aloizio Mercadante, durante o lançamento das diretrizes do plano de governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Paulo, para cobrar a inclusão da proposta de renda cidadã no documento.

O evento foi realizado em um hotel com a presença de Lula, do pré-candidato a vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB), dos presidentes dos partidos que apoiam o petista e de apoiadores da campanha, entre sindicalistas e integrantes de movimentos sociais.

Sugestões sobre renda básica

Após ter sido citado por Alckmin, que o parabenizou por seus 81 anos completados hoje, Suplicy levantou-se da plateia durante a apresentação e caminhou em direção a Mercadante para entregar suas propostas.

Mesmo falando fora dos microfones, é possível ouvi-lo reclamando que suas sugestões não foram consideradas pelo partido. O encontro foi transmitido ao vivo pela internet.

“Não foi considerada a instituição da renda básica de cidadania aprovada por todos os partidos, sancionada pelo presidente Lula e que está no programa do PT há muitos anos, todo ano. Ele tem alguma coisa comigo”, afirmou em referência a Mercadante, que riu após a citação. Ambos foram senadores pelo PT.

Suplicy também reclamou que não foi convidado para discutir o assunto com as lideranças do PT e partidos aliados.

“Continuarei trabalhando muito para que Lula e Alckmin instituam a renda básica de cidadania enquanto eu estiver vivo ainda”, concluiu, aos gritos. Durante sua fala, ele foi aplaudido por Alckmin. Lula riu em alguns momentos, durante a intervenção de Suplicy.

Após a reclamação de Suplicy, Mercadante agradeceu a intervenção do colega de partido e disse que não teve como acompanhar os convites para o encontro. “É só olhar o tamanho do plenário, nem era a minha função”, afirmou.

Em relação às propostas, Mercadante afirmou que elas precisam passar por um “debate profundo” antes de entrarem no programa de governo.

“Tem uma coordenação de sete partidos e o senhor será, meu companheiro Suplicy, de 42 anos de partido, tratado com toda a deferência, mas com o mesmo direito que todos os outros têm de apresentar propostas, serem ouvidos e discutidos. Vai entrar na fila de 51 propostas que nós já temos”, afirmou Mercadante, que conviveu no Senado com Suplicy durante seus respectivos mandatos, nos anos 2000.

“Poderia olhar com mais cuidado”, diz Mercadante

Mercadante ainda leu um trecho das diretrizes do programa para mostrar que a proposta de Suplicy havia sido lembrada. No documento, o Bolsa Família é proposto como um programa capaz de viabilizar uma transição para um “sistema universal e uma renda básica de cidadania”.

“Poderia olhar com mais cuidado. Não só está citado como Vossa Excelência cometeu duas graves injustiças aqui, mas estou acostumado, fui líder de Vossa Excelência com a bancada, sei que é assim mesmo”, disse Mercadante ao ex-companheiro de Senado.

Em sua fala após o episódio, Lula elogiou Suplicy, lembrando que ele é reconhecido pelo PT e pela sociedade por sua defesa do combate à fome, e afirmou que o vereador estava correto em fazer a reclamação.

“Se o Suplicy não fosse brasileiro, se ele fosse de outro país, a abnegação dele, a dedicação dele, nesses 40 anos, de querer uma renda básica, ele já teria ganhado o prêmio Nobel umas dez vezes”, disse o ex-presidente.

Lula ainda parabenizou Mercadante e sua equipe por terem incluído a questão da renda básica nas diretrizes do plano de governo. “Se Deus quiser nós haveremos de implantá-la um dia no país”, disse.

Invasão

Ao final do evento, um homem invadiu o local e se dirigiu ao ex-presidente aos gritos. Ele foi rapidamente retirado por seguranças e não chegou a interromper a fala de Lula.

Segundo Mercadante, o homem entrou e “fez uma provocação, mas não teve nenhuma eficiência”. “Depois ele se retirou e nós pedimos para que a assessoria jurídica o acompanhasse para garantir que não houvesse nenhuma agressão, nada que pudesse utilizar. Foi um incidente que aconteceu que só reforça a necessidade de termos mais cuidado com a segurança”, disse o petista.

O ex-senador também disse que o homem se credenciou para o evento como estudante. “Havia um credenciamento prévio de todos envolvidos, chegaram alguns estudantes, se credenciaram como estudantes, e ele estava nesse grupo.”

Mercadante ainda lembrou o episódio de um drone que lançou uma substância em apoiadores do partido durante um evento com Lula e o pré-candidato ao governo de Minas Gerais Alexandre Kalil (PSD) na cidade de Uberlândia. “Em Minas Gerais foi pior, tinha um drone lançando, ao que parece, veneno na população. É o tipo de gente que estamos enfrentando, mas não vamos nos intimidar. Lá foi bem pior, muito mais agressivo, aqui foi um incidente pequeno sem nenhuma relevância”, concluiu.

Após a retirada do evento, três homens registraram um boletim de ocorrência em uma delegacia na região do hotel alegando que sofreram escoriações na abordagem dos seguranças. Eles também disseram que não houve necessidade de credenciamento, e que entraram no local apenas fornecendo os próprios nomes.

Debate

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

*Publicado por Estêvão Bertoni, com informações de Tainá Falcão, Bruna Macedo e André Luis Rosa, da CNN

Fotos – Os pré-candidatos à Presidência

Mais Recentes da CNN