TJ-RJ convoca sessão para sortear indicados ao tribunal de impeachment de Witzel

Encontro será virtual, mas o sorteio, analógico

Stéfano Salles

Da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Cláudio de Mello Tavares, que vai presidir o Tribunal Misto que analisará a sequência do processo de impeachment do governador afastado Wilson Witzel (PSC), marcou para segunda-feira (28), às 11h, a sessão do Tribunal Pleno do TJ, em que será realizado o sorteio dos membros do Judiciário o colegiado.

O encontro virtual será às 11h, virtual, e o sorteio será analógico, feito com um globo sorteador, com bolas numeradas. Cada número representará a antiguidade do desembargador no tribunal.

Ainda não está definido se os representantes do Judiciário no Tribunal Misto serão oriundos do quadro total de desembargadores, que tem 179 membros, além de seu presidente, Cláudio de Mello Tavares, ou do Órgão Especial, que conta com 24. O Pleno vai definir esse tema por votação virtual, que começa nesta quinta-feira e vai até segunda-feira, dia 28, às 8h — três horas antes do início da sessão. 

Leia e assista também

Alerj aprova por unanimidade seguimento do impeachment de Wilson Witzel

Impeachment de Witzel: deputados já disputam vaga no Tribunal Misto

Witzel diz a aliados que tem plano para salvar sua carreira política

Assim como em qualquer outro caso, os desembargadores poderão declarar impedimento ou suspeição, de forma oral, logo após o sorteio. 

A Alerj já tinha definido na terça-feira que seus cinco representantes serão escolhidos na próxima terça-feira, com uma eleição no plenário. Cada deputado votará em cinco candidatos, já que são cinco vagas. Os votos serão somados e os cinco primeiros colocados serão indicados ao colegiado. 

Não há suplência, mas um acordo feito no Colégio de Líderes decidiu dar preferência aos que ficarem entre a sexta e a décima posição, para o caso de impedimento de algum eleito, por qualquer razão. No entanto, uma nova eleição teria que ser feita, para legitimar isto.

Mais Recentes da CNN