Vou conversar com Defesa, diz Bolsonaro após ofício de militares ao TSE

Em entrevista, o presidente afirmou que não foi informado previamente sobre o teor do documento

Da CNN

Ouvir notícia

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta sexta-feira (10) que conversará com o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, sobre a divulgação do novo documento em que a pasta cobra transparência do Tribunal Superior Eleitoral no processo de apuração dos votos.

Após o encerramento da Cúpula das Américas, em Los Angeles, o presidente disse, em entrevista a jornalistas, que não foi informado previamente sobre o teor do ofício. Segundo Bolsonaro, o TSE sempre se negou a discutir pontos essenciais para o pleito.

“Tomei conhecimento agora. Quero analisar melhor na viagem. Pelo que sei, é um ofício técnico. Fomos convidados, eu sou o chefe das Forças Armadas, colocamos à disposição da Justiça Eleitoral o que tínhamos de melhor lá. Levantamos centenas de vulnerabilidades, apresentamos nove sugestões e, depois disso, o TSE sempre se negou a discutir o corpo técnico deles com nós, buscando dirimir qualquer dúvida”, afirmou o presidente.

Bolsonaro disse que pedirá a Nogueira uma explicação sobre o que aconteceu e repetiu que as eleições não podem ocorrer “sob o manto da desconfiança”.

“Chegando no Brasil vou conversar com o ministro da Defesa, para que ele me explique também o que aconteceu. Acredito que ele queira novamente buscar o ministro Fachin. Não podemos ter eleições, como está lá no ofício, ‘sob o manto da desconfiança’.”

O documento enviado pelo Ministério da Defesa diz que “até o momento, as Forças Armadas não se sentem devidamente prestigiadas por atenderem ao honroso convite do TSE para integrar a Comissão de Transparência”.

Debate

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Mais Recentes da CNN