Waack: Ao se isolar politicamente, Bolsonaro fortalece quem defende seu impeachment

Presidente transformou Dia da Independência no dia da desobediência ao dizer que não cumprirá determinações que vierem do ministro Alexandre de Moraes, do STF

Da CNN

Ouvir notícia

No quadro CNN Poder desta quarta-feira (8), na CNN Rádio, William Waack analisa a repercussão do discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas manifestações do 7 de Setembro.

“Bolsonaro transformou o Dia da Independência no dia da desobediência com a frase dele, dizendo que não vai cumprir determinações que vierem de um ministro específico do Supremo Tribunal Federal (STF), o Alexandre de Moraes”, disse Waack.

Para Waack, o debate jurídico em torno de se Bolsonaro pode ser acusado por crime ou não por essa frase é suplantado pelo debate político.

“Isto talvez tenha sido um grave erro político do presidente da República. Não importa o número de pessoas que conseguiu botar na rua. Ele está sozinho nessa batalha, não há outras forças políticas, além daquele que o apoiam – fanaticamente ou não – lutando nessa mesma direção”, explicou.

Waack diz haver antipatias fortes em vários setores em relação ao STF, ao ativismo do Judiciário, ao papel dos magistrados, mas quando se fala da relação de forças, do poder entre as várias forças políticas, a de Bolsonaro não é majoritária.

“Ao se isolar dessa maneira no cenário político, só conseguiu um resultado: engrossar o caldo do impeachment. Se era uma coisa que se tratava em conversas meio exploratórias, hoje está na pauta – e uma semana atrás não estava nem no mapa.”

Mais Recentes da CNN