Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Hacker Walter Delgatti deixa a PF após depor sobre invasão de sistemas do Judiciário

    Hacker está preso desde o dia 2 de agosto e afirma que a invasão foi feita a pedido da deputada Carla Zambelli (PL-SP)

    Hacker Walter Delgatti Neto
    Hacker Walter Delgatti Neto Reprodução/ Instagram

    Da CNN

    O hacker Walter Delgatti Neto prestou depoimento na sede da Polícia Federal (PF), nesta quarta-feira (16), sobre a invasão e inserção de dados falsos nos sistemas de tecnologia do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em janeiro deste ano.

    Delgatti chegou no prédio por volta das 13h20, e o depoimento estava marcado para começar às 13h30.

    Delgatti reafirmou, durante o depoimento, que recebeu dinheiro da deputada Carla Zambelli (PL-SP) para invadir o sistema do poder Judiciário. Segundo seu advogado, Ariovaldo Moreira, o valor foi de R$ 40 mil, pagos uma parte em espécie e outra por transferência bancária.

    A defesa de Zambelli diz que “rechaça qualquer acusação de prática de conduta ilícita e imoral pela parlamentar, inclusive, negando qualquer tipo de pagamento ao mencionado hacker”.

    Operação da PF

    Delgatti, que ficou conhecido como “hacker da Vaza Jato” após ter acesso a mensagens da Operação Lava Jato, está preso desde o dia 2 de agosto, após uma operação da Polícia Federal (PF). Na mesma operação, também houve o cumprimento de mandados de busca nos endereços da deputada federal Carla Zambelli.

    A PF encontrou pagamentos de dois assessores de Zambelli ao hacker Walter Delgatti de forma fracionada.

    “Os pagamentos foram sempre relacionados ao site, para ele fazer melhorias no site, fazer firewall no site e ligar as minhas redes sociais ao site, que ele próprio disse que não conseguiu realizar essa tarefa. Inclusive, deveria ter tido até a devolução [do dinheiro]”, argumentou Zambelli em coletiva na Câmara dos Deputados.

    Um requerimento de convocação de Zambelli para depor na CPMI chegou a ser protocolado, mas não foi votado.

    No dia 7 de agosto, Zambelli era esperada para depor à PF, mas o depoimento foi adiado a pedido da sua defesa.

    Segundo o advogado da parlamentar, Daniel Bialski, foi solicitado que a oitiva fosse adiada para uma data posterior à análise completa do inquérito. Ele ainda afirmou que foi empenhado esforço para buscar acesso ao documento por meio de petições, e-mails e ligações, mas sem sucesso.

    Também foi informado pela defesa que Zambelli não responderia a perguntas sobre seu suposto envolvimento com Walter Delgatti, pois não teve acesso aos autos do processo. Foi reiterado que a deputada deseja esclarecer a situação, mas não pode assim fazer sem ter todas as informações sobre o caso.

    Até o momento, a data para esse novo depoimento não foi definida.

    *Publicado por Fernanda Pinotti