OMS cobra de jovens respeito a isolamento: 'Vocês não são invencíveis'


Da CNN Brasil, em São Paulo
20 de março de 2020 às 15:06 | Atualizado 20 de março de 2020 às 15:29
Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, pediu respeito ao isolamento pelo COVID-19

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, fez discurso focado nos jovens: ‘respeitem o isolamento’

Foto: Denis Balibouse - 28.fev.2020/ Reuters

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, pediu nesta sexta-feira (20) que os jovens respeitem as restrições de movimentação impostas pelos países ao redor do mundo para tentar conter a disseminação do novo coronavírus.

"Tenho uma mensagem para as pessoas mais novas: vocês não são invencíveis. Esse vírus pode fazer vocês ficarem em um hospital por várias semanas ou até matá-los", disse Adhanom. "E mesmo se você não ficar doente as escolhas que você faz sobre onde ir podem significar viver ou morrer para outra pessoa."

Leia também:

Mitos e verdades da quarentena: como evitar o contágio do coronavírus

Podcast E Tem Mais: como manter a saúde mental em tempos de pandemia

Adhanom disse também que os dados sobre as infecções pelo COVID-19 mostram que pessoas com menos de 50 anos são uma parcela significativa dos pacientes que precisam ser hospitalizados pela infecção do novo coronavírus.

A OMS também afirmou que mudará sua recomendação para “distância física” em vez de “distância social”. O diretor da organização explicou que, em tempos de isolamento, encoraja todas as pessoas a se manterem conectadas por meio da internet e das redes sociais, mas distantes fisicamente umas das outras.

Recomendações para quarentenas

Em relação ao isolamento individual, ele fez uma série de recomendações para quem foi forçado a ficar em casa. “Nesses tempos difíceis, é importante continuar cuidando de sua saúde física e mental”, afirmou o diretor da OMS.

Entre as sugestões está a alimentação saudável para melhor funcionamento do sistema imunológico; a limitação do consumo de álcool e de bebidas com muito açúcar; a suspensão do fumo; e a realização de exercícios diários — 30 minutos para adultos e uma hora para crianças.

“Minha família não é diferente [da de vocês]. Minha filha agora tem aulas online em casa porque sua escola está fechada”, disse Adhanom.

Ele também destacou a importância de cuidar da saúde mental. “É normal sentir-se estressado, confuso e assustado durante uma crise como essa. Fale com pessoas que você confia e que podem te ajudar.”

Segundo números divulgados ontem (19) pela OMS, há 209.839 casos confirmados do novo coronavírus e 8.778 mortes em 168 países e territórios. 

Leia também

Coronavírus: saiba quais são os sintomas e como se prevenir contra o COVID-19

Como lavar as mãos da forma correta e evitar o novo coronavírus