Ipea: Índice de isolamento social caiu 20% no Brasil desde março

Os estados de Santa Catarina, Minas Gerais, Rondônia, Espírito Santo e Goiás preferiram abrandar as normas

Da CNN, em São Paulo
13 de maio de 2020 às 14:32 | Atualizado 13 de maio de 2020 às 14:42

De acordo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o distanciamento social diminuiu 20% em todo o Brasil desde o final de março. Os pesquisadores alertam que as políticas de distanciamento têm se tornado progressivamente descentralizadas, o que pode levar a uma saída desordenada e caótica da quarentena.

O Ipea analisou os períodos de 23 a 27 de março e de 4 a 8 de maio. Enquanto o rigor do índice de medidas legais de distanciamento adotadas por estados e municípios caiu 10%, o isolamento social caiu 20% na comparação entre os dois períodos.

Na primeira semana da quarentena, entre 23 a 27 de março, as medidas legais de distanciamento foram classificadas com 6,6 pontos numa escala de 0 a 10. Já no período entre 4 e 8 de maio, o indicador de medidas legais de distanciamento social recuou para 6 pontos.

Leia também:
Mais um acusado de desviar verba da saúde pública é preso no RJ
Centrão racha e líderes brigam após retirada de MP de pauta

O estudo revela que os estados de Santa Catarina, Minas Gerais, Rondônia, Espírito Santo e Goiás preferiram abrandar as normas por considerarem que o número de mortes não era muito alto. Já Ceará, Pernambuco e São Paulo mantiveram medidas restritivas rigorosas quando o número de mortos chegou a níveis bastante elevados. 

A pesquisa ainda faz um alerta para as regiões que relaxaram as medidas de isolamento. O reflexo na economia provavelmente será menos severo no curto prazo nestas áreas. No entanto, caso as taxas de transmissão cresçam e o sistema de saúde seja sobrecarregado, esse benefício pode ser rapidamente perdido.