SP fará testes de Covid-19 em assintomáticos que tiveram contato com pacientes

Exame identifica em aproximadamente 15 minutos a presença de anticorpos do vírus no sangue

Marcela Coelho, da CNN, em São Paulo
14 de maio de 2020 às 17:59
Teste rápido para detecção da Covid-19
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters (21.abr.2020)

O governo do estado de São Paulo, em parceria com os municípios, vai começar a partir desta sexta-feira (15) a aplicação de testes rápidos para a detecção de Covid-19 mesmo em pessoas assintomáticas. 

A ideia é aplicar o teste rápido de imunoglobulinas da classe M (IgM) e da classe G (IgG) em pessoas que tiveram contato com pacientes positivos para o novo coronavírus, mas permanecem sem sintomas por mais de 14 dias. Esse exame identifica em aproximadamente 15 minutos a presença de anticorpos do vírus no sangue. Já para os pacientes com os sintomas, mesmo leves, será indicado o exame de RT-PCR.

Também poderão realizar os testes rápidos, independentemente de terem tido contato com infectados, profissionais da saúde e da segurança pública, pessoas presas, doadores de sangue e pessoas que vivem em asilos, casas de repouso, orfanatos, comunidades terapêuticas e os menores da Fundação Casa.

Leia também:

Brasil fez 2% dos testes de Covid-19 dos 24 milhões previstos

'A cada 5 pacientes da UTI, um não volta para casa', diz diretor do Emílio Ribas

'Super-rodízio' aumenta uso do transporte público, diz especialista

Nesta primeira fase, cerca de um milhão de exames do tipo serão aplicados. Desses, 500 mil foram comprados pelo Instituto Butantan, mediante um investimento de R$ 30 milhões. O restante veio do Ministério da Saúde e está em fase de envio aos municípios.

"Estamos ampliando a estratégia de testagem da população e esperamos com isso ter uma melhor dimensão da curva de infecções no estado de São Paulo. Isso é fundamental para a tomada de decisões no enfrentamento da pandemia", afirma Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Um projeto-piloto já havia sido iniciado em parceria com a Polícia Militar, incluindo 35 mil profissionais da cidade de São Paulo e seus familiares, totalizando 145 mil pessoas. 

Rede de laboratórios

Criada no dia 3 de abril, a Plataforma de Laboratórios para Diagnóstico do Coronavírus conta com 42 laboratórios habilitados e capacidade para fazer até 5 mil exames por dia, segundo o governo paulista. A partir de maio, a capacidade esperada é de até 8 mil processamentos de amostras diárias.
 
Segundo o Instituto Butantan, São Paulo terá capacidade de realizar cerca de 27 mil exames de PCR por milhão de habitantes, superior a países como Estados Unidos, França e Reino Unido, por exemplo.