Governo federal envia 4,3 milhões de comprimidos de cloroquina a estados


Da CNN
17 de junho de 2020 às 10:40

Apesar do debate inconclusivo sobre o uso da cloroquina para o tratamento da Covid-19, o Ministério da Saúde já encaminhou cerca de 4,3 milhões de comprimidos de 150 mg para todos os estados do país, inclusive para aqueles que decidiram não utilizar o medicamento no tratamento contra a doença.

Considerado o epicentro da pandemia, São Paulo recebeu a maior parte, 986 mil comprimidos. Na sequência estão o Pará, o Distrito Federal e o Paraná.

Leia também:

Saúde vai autorizar cloroquina para gestantes e crianças com Covid-19
Hidroxicloroquina não mostra benefícios e Reino Unido cancela testes
Covid-19: britânicos encerram testes e apontam hidroxicloroquina como ‘inútil’

A Secretaria de Saúde de São Paulo afirmou que "o uso da cloroquina é recomendado em casos leves e moderados, devido à insuficiência de evidências científicas que comprovem a eficácia no tratamento da doença".

Nos Estados Unidos, Food and Drug Administration (FDA, em inglês), órgão equivalente à Anvisa no país, revogou a autorização para uso emergencial dos medicamentos hidroxicloroquina e cloroquina para o tratamento de casos do novo coronavírus.

A FDA concluiu que eles não atendem aos critérios legais para autorização de uso emergencial, pois é improvável que sejam eficazes no tratamento da Covid-19 de acordo com as últimas evidências científicas.

Três meses da 1ª morte

Nesta quarta (17), o Brasil chega a três meses do registro da primeira morte por coronavírus.

A vítima foi um homem de 62 anos que estava internado no Hospital Sancta Maggiore, da Rede Prevent Sênior, no Paraíso, zona sul da capital paulista. 

Atualmente, o país já computa 45.241 mortos. Em São Paulo, epicentro da deonça no Brasil, 11.132 pessoas já morreram vítimas do novo coronavírus.

(Edição: Sinara Peixoto)