Farmácias já realizaram mais de 62 mil testes rápidos da Covid-19 no Brasil

Os testes rápidos feitos pelas farmácias detectam anticorpos dos tipos IgM e IgG, que demonstram se a infecção pela Covid-19 já ocorreu

Paula Forster Da CNN, em São Paulo
22 de junho de 2020 às 11:27 | Atualizado 22 de junho de 2020 às 11:48

Desde que a Anvisa permitiu, no dia 28 de abril, a realização de testes rápidos para detecção de anticorpos do novo coronavírus em farmácias e drogarias autorizadas, 62.660 pessoas foram testadas, segundo levantamento realizado pela Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma).

Os dados foram coletados até o dia 14 de junho e apontam que 15,3% das pessoas tiveram resultado positivo, enquanto que 53.076 (84,70%) testaram negativo.

O serviço é oferecido em 349 farmácias de todo o Brasil, sendo que 68,48% delas estão localizadas no estado de São Paulo (136) e de Minas Gerais (103).

Este último foi o que mais testou, totalizando 22.222 pessoas. A maior taxa de resultados positivos ficou noo estado do Ceará: 35,7% das 5.002 pessoas testadas já tiveram contato com o vírus.

Os estados do Acre, Rio Grande do Norte, Rondônia e Roraima ainda não disponibilizaram a testagem nas farmácias e drogarias.

Leia também:

Brasil registra 50 mil mortos por coronavírus, mostra levantamento da CNN 
Hospital no PR já usa dexametasona em pacientes com quadro grave de Covid-19
Entrave para comprar testes de Covid-19 afasta Brasil de meta

De acordo com as determinações da Anvisa e do Ministério da Saúde, os estabelecimentos autorizados a realizar o teste rápido precisam cumprir algumas orientações. Entre elas: treinar o farmacêutico que realizará a testagem; garantir o registro dos resultados e controlar o fluxo de pessoas no local, separando os clientes que buscam o serviço de testagem dos clientes que possuem outras demandas.

Vale lembrar que a medida da Anvisa tem caráter temporário e excepcional e visa aumentar a cobertura de testagem e reduzir a demanda dos serviços públicos. No entanto, o teste não têm finalidade confirmatória, ou seja, ele não detecta a doença, mas os anticorpos produzidos pelo organismo (IgM e o IgG). Até, por isso, a recomendação é de que ele seja realizado a partir do sétimo dia de sintomas.

 

Teste rápido para detectar a Covid-19
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O resultado do exame, feito a partir de amostras de sangue, soro ou plasma, fica pronto em um período de 10 a 30 minutos e a interpretação dos resultados deve ser feita por um profissional de saúde.

Nossa equipe de reportagem foi até uma unidade da Droga Raia, no alto de Pinheiros, que oferece a testagem. Segundo a rede RaiaDrogasil, cerca de 20 mil testes rápidos foram realizados no período de um mês em mais de 150 lojas espalhadas pelo Brasil.