Cachorro testa positivo para a Covid-19 e é sacrificado nos EUA

Segundo os pesquisadores da universidade, continua não havendo evidência de que os animais transmitam o vírus para humanos

Carolina Figueiredo Da CNN, em São Paulo
21 de julho de 2020 às 19:50

Um cachorro do estado da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, testou positivo para o vírus que causa a Covid-19 em humanos e foi sacrificado por pesquisadores da Universidade Clemson. Segundo veterinários, o cão não apresentava sintomas da doença, mas tinha uma condição crônica de saúde pré-existente  — por isso foi decidida a opção pela eutanásia.

Segundo os pesquisadores da universidade, continua não havendo evidência de que os animais transmitam o vírus para humanos. 

O veterinário e diretor do departamento de Saúde Pecuária e Aves da Universidade Clemson, Boyd Parr, disse que um veterinário particular decidiu testar o cão, que tinha entre 8 e 9 anos de idade, após um de seus proprietários testar positivo para o coronavírus. 

"Com base no conhecimento atual, continua a não haver evidências de que os animais de estimação tenham um papel significativo na disseminação do SARS-CoV-2 para as pessoas", disse Parr. "Mas é uma boa ideia restringir o contato com seus animais de estimação e outros animais, assim como você faz com outras pessoas, se estiver infectado com Covid-19, a fim de protegê-los da exposição ao vírus", completou o veterinário. 

Leia também

Pug testa positivo em família norte-americana que contraiu a COVID-19

Do vison ao seu gato: o que se sabe sobre a relação entre Covid-19 e animais

Cachorros são treinados para detectar o novo coronavírus

O Departamento de Agricultura dos EUA confirmou o vírus no cachorro no dia 9 de julho, e os pesquisadores da Clemson e o Departamento de Saúde e Controle Ambiental da Carolina do Sul continuam investigando o caso junto com os Centros de Controle e Doenças (CDC). 

Os Estados Unidos registram, até agora, 18 casos de animais contaminados com o novo coronavírus. Entre os registros, há tigres e leões em Nova York que testaram positivo em abril. Além deles, também há registro de cinco gatos contaminados. O caso da Carolina do Sul representa o sexto cachorro a ser testado como positivo para a Covid-19 no país. 

De acordo com o CDC, o teste de rotina em animais não é recomendado até o momento. Segundo o Centro, a decisão de testar um anima deve ser tomada após consulta e aprovação de autoridades estaduais da área de saúde animal.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já informou que vários cães e gatos que tiveram contato com humanos infectados testaram positivo para a Covid-19. Também há registro de que os furões são suscetíveis à infecção. Porém, segundo a OMS, os animais só transmitiram a doença para outros animais da mesma espécie, e não há evidências de que eles possam transmitir o vírus aos seres humanos.