Governo avalia não entrar no grupo de vacinas da ONU

O parecer está na Casa Civil e será oficialmente divulgado na sexta-feira. A possibilidade de recusa surpreendeu funcionários do Ministério da Saúde

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
17 de setembro de 2020 às 04:51 | Atualizado 17 de setembro de 2020 às 08:10

Técnicos do governo contaram à CNN que sugeriram que o Brasil não entre no Covax, grupo de vacinas da ONU contra o novo coronavírus, que vai servir para o acesso mais equilibrado de vacinas entre países pobres e desenvolvidos.

O parecer está na Casa Civil e será oficialmente divulgado na sexta-feira. A possibilidade de recusa surpreendeu funcionários do Ministério da Saúde.

Leia também:
Governo zera imposto de importação para vacinas contra a Covid-19

Farmacêutica Pfizer quer ampliar o número de voluntários testados no Brasil

Uso de máscara de proteção pode gerar imunidade contra a Covid-19, diz estudo

Grupo de vacinas da ONU vai servir para o acesso mais equilibrado de vacinas entre países pobres e desenvolvidos
Foto: Andreas Gebert/Reuters

O grupo é uma ação global de produção e distribuição para que todas as nações sejam atendidas, quando houver a vacina. O Brasil teria papel de destaque pela posição social que ocupa no mundo.

Nesta quarta, na posse do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, no Palácio do Planalto, houve conversas neste sentido entre funcionários da pasta e da Casa Civil. 

Na semana passada, no Conselho que discute a formação do grupo, Pazuello cobrou transparência do Covax, e disse que o Brasil estará "ao lado" do grupo, sem se comprometer com a participação.