Brasil tem ‘janela de oportunidade’ para estabilizar Covid-19, diz especialista


Da CNN
11 de outubro de 2020 às 13:11 | Atualizado 11 de outubro de 2020 às 13:28

A OMS (Organização Mundial da Saúde) alertou os governos europeus, na última sexta-feira (9), para a adoção de medidas mais rígidas para conter o avanço do novo coronavírus. Nos últimos dias, o número de casos de Covid-19 registrados por dia cresceu na Europa.

O Brasil, que já ultrapassou 150 mil mortes e registrou mais 5 milhões de casos da doença, ainda corre o risco de ver esses números aumentarem. A avaliação é do epidemiologista Wanderson Oliveira, ex-secretário nacional do Ministério da Saúde. 

"A possibilidade ocorre a partir do momento em que um volume muito grande de pessoas ainda não pegou a doença. Essa é uma preocupação constante. Ainda temos muitas pessoas no mundo e no Brasil que não pegaram Covid, por isso é tão importante manter as medidas de distanciamento social", disse em entrevista à CNN.

Oliveira afirmou que o país entra em um período de "janela de oportunidade" para manter estáveis os números da pandemia. A chegada do Verão pode dimiuir os casos de Covid-19 no Brasil, desde que as medidas preventivas sigam respeitadas pela população.

"Entre outubro e fevereiro do próximo ano, há a possibilidade de incidências mais baixas [da doença]. Não dá para afirmar que vai acontecer em todas as localidades, pois podemos ter surtos localizados. Mas não dá para abolir o uso de máscara, álcool em gel e fazer aglomerações", reforçou.

Veja também:

Brasil registra 559 novas mortes por Covid-19 e total ultrapassa 150 mil
Realidade é diferente da Europa, diz secretário de Saúde de SP sobre 2ª onda
Covid-19: Vacina com 50% de eficácia será segura? Médicos respondem

Ele lembrou que foi a adoação dessas medidas e mudanças de hábitos que ajudaram na estabilidade da pandemia. Sem elas, Oliveira disse que o país corre o risco de voltar a debater o lockdown.

"É muito necessário manter as medidas de prevenção e controle para evitar ter que fazer o lockdown ou um bloqueio total. Para isso, toda a população tem que manter e até intensificar as medidas preventivas. (...) É um momento de aumentar a vigilância e de não flexbilizar o cuidado. No entanto, é possível sim implementar medidas de distanciamento social mesmo com a abertura de algumas atividades econômicas de forma mais segura do que no período que vivemos meses atrás." 

(Edição de texto: Luiz Raatz)